CDC/Divulgação
CDC/Divulgação

Descoberta evidência transferência de DNA humano para bactéria

Processo evolutivo recente da batéria que provoca a gonorreia pode ter consequências em sua habilidade de adaptação aos seres humanos

estadão.com.br,

14 Fevereiro 2011 | 11h45

SÃO PAULO - Pesquisadores norte-americanos descobriram pela primeira vez evidências de transferência direta de fragmentos do DNA humano para o genoma da bactéria que provoca a gonorreia, a Neisseria gonorrhoeae. O estudo, publicado nesta segunda-feira, 14, revista mBio, descreve o que parece ser um evento recente da evolução dessa bactéria.

 

A descoberta sugere que a gonorreia tem a habilidade de adquirir DNA de seu hospedeiro para desenvolver novas cepas de si mesma, mas ainda é incerto se esse evento proporcionou uma vantagem evolutiva para a bactéria, segundo os cientistas.

 

Segundo os pesquisadores, essa descoberta é significativa por mostrar que as espécies podem dar grandes passos evolutivos quando conseguem "pegar" pedaços de DNA de outras espécies. Nesse caso, como a bactéria conseguiu pegar um pedaço do DNA de seu hospedeiro, isso pode ter diversas consequências em relação a quão bem ela pode se adaptar nos humanos.

 

A transferência de genes foi descoberta quando as sequências genômicas de diversas bactérias foram isoladas e três de 14 desses pedaços isolados continham sequências onde as bases de DNA eram idênticas a um elemento encontrado em humanos. Os pesquisadores sequenciaram esses trechos para confirmar que eram idênticos ao humano. A pesquisa também descobriu que essa sequência humana estava presente em cerca de 11% das culturas de bactérias estudadas.

 

Os pesquisadores também procuraram DNA humano na bactéria que causa a meningite, a Neisseria meningitidis, por ser muito similar à gonorreia, mas não encontraram nada. O que sugere que esse é um evento evolutivo muito recente. Segundo os pesquisadores, o próximo passo agora é compreender o que esse trecho de DNA humano realiza.

 

Os cientistas já tinham conhecimento do processo de transferência de DNA ocorrendo entre bactérias diferentes e entre bactérias e células de levedura, mas entre bactérias e DNA humano era um processo ainda desconhecido.

 

A descoberta oferece informações sobre a evolução da bactéria assim como sua habilidade de continuamente se adaptar e sobreviver em seus hospedeiros humanos. A gonorreia, que é transmitida pelo contato sexual, é uma das doenças mais antigas conhecidas e uma das poucas exclusivamente humanas.

Mais conteúdo sobre:
gonorreia DNA

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.