Reprodução/Nasa
Reprodução/Nasa

Descoberta fonte oculta de raios X no interior da Via-Láctea

O objeto - um sistema binário - foi revelado por isntrumento japonês a bordo da Estação Espacial

estadão.com.br, estadão.com.br

22 Outubro 2010 | 16h43

Astrônomos do Japão, usando um detector de raios X a bordo da Estação Espacial Internacional (ISS) e da Universidade Estadual da Pensilvânia, nos EUA, usando o observatório espacial Swift, da Nasa,  estão anunciando a descoberta de um objeto emissor de raios X que se encontrava escondido no interior da Via-Láctea, na constelação do Centauro.

 

O objeto - um sistema binário - foi revelado quando o instrumento Maxi (sigla em inglês par Monitor de Imagem de Raio X de Todo o Céu), no módulo japonês Kibo, da ISS, captou uma erupção gigantesca de radiação, conhecida como nova de raios X.

 

A equipe Maxi alertou a comunidade astronômica mundial, e o observatório Swift conduziu uma observação "de oportunidade" nove horas após o alerta, emitido na madrugada de 20 de outubro.

A detecção pelo equipamento da Nasa confirmou a presença da fonte de raios X até então desconhecida, que recebeu a designação  MAXI J1409-619.

 

"A observação do Swift sugere que essa fonte provavelmente é uma estrela de nêutrons ou um buraco negro com uma estrela de grande massa localizada a poucas dezenas de milhares de anos-luz da Terra, dentro da Via-Láctea", disse, em nota, David Burrows, da universidade americana.

Mais conteúdo sobre:
raios x estação espacial swift kibo

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.