Chris Rainier/National Geographic/AP
Chris Rainier/National Geographic/AP

Descoberta língua falada por apenas 1.000 pessoas na Índia

O koro é falado no nordeste da Índia, perto da fronteira com China. Mianmar e Tibet

Associated Press, AP

06 Outubro 2010 | 10h51

Uma língua "oculta", falada por apenas cerca de 1.000 pessoas, foi descoberta numa região remota do nordeste da Índia por pesquisadores que, inicialmente, acreditavam estar documentando apenas mais um dialeto da cultura aka, uma comunidade tribal que vive de calça e agricultura.

O que encontraram foi um vocabulário e uma estrutura linguística totalmente diferentes.

Mesmo os falantes da língua, chamada koro, não sabiam que tinham uma língua diversa, disse o linguista K. David Harrison.

 

Culturalmente, os falantes de koro são parte da comunidade aka no Estado indiano de Arunachal Pradesh. Segundo Harrison, do Swarthmore College, ambos os grupos consideravam o koro um dialeto.

Mas os pesquisadores descobriram que os dois grupos usam palavras diferentes para partes do corpo, números e outros conceitos, o que estabelece o koro como uma língua à parte.

 

"Koro é bem diferente da língua aka", disse Gregory Anderson, diretor do Instituto Línguas Vivas para Línguas Ameaçadas. "Quando fomos lá, nos disseram que se tratava de um dialeto do aka, mas na verdade é uma língua de parentesco distante".

 

O povo da cultura aka vive em pequenos vilarejos perto das fronteiras da Índia com China, Tibet e Mianmar. As línguas que falam não são muito conhecidas, embora tenham sido encontradas pela primeira vez no século 19.

 

A região em que vivem essas pessoas fica no sopé do Himalaia, e é preciso obter uma permissão especial para entrar ali.

 

O nordeste da Índia é conhecido uma área de grande diversidade linguística, e os pesquisadores estavam documentando algumas das línguas sem forma escrita quando encontraram o koro, em 2008.

"Estávamos descobrindo algo que estava de saída, estava a caminho do fim. Se tivéssemos esperado dez anos para fazer a viagem, poderíamos não ter encontrado o número de falantes que encontramos", disse Anderson. Segundo Harrison, estima-se que uma língua "morre" a cada duas semanas, com a perda dos últimos falantes.

 

 Contando o koro, há 6.910 línguas documentadas no mundo, disse ele.

 

Muitas línguas são consideradas ameaçadas, incluindo o koro, explicou, porque os jovens tendem a preferir a língua dominante na região.

 

O koro vem se mantendo dentro da comunidade aka, disseram os pesquisadores, a despeito do fato de os grupos partilharem relações de parentesco, tradições e festivais. Além de algo entre 800 e 1.200 falantes de koro, os distritos de Kameng Ocidental e Kameng Oriental de Arunachal Pradesh contêm de 4.000 a 6.000 falantes de aka.

 

Os falantes de koro se consideram membros da tribo aka, embora linguisticamente sejam koro. "Trata-se de uma condição incomum, esse tipo de arranjo não costuma permitir a sobrevivência da língua menor".

 

A ameaça principal, no entanto, vem da disseminação do hindi, uma língua dominante na Índia. Muitos jovens vão estudar em internatos onde aprendem hindi e inglês.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.