Descoberta molécula que ativa destruição do câncer de pele

Pesquisa abre as portas para a fabricação de novos medicamentos para combater a doença

Efe,

03 Agosto 2009 | 18h11

Pesquisadores espanhóis identificaram um composto sintético capaz de desencadear a autodestruição em massa de células de melanoma, o que abre as portas para a fabricação de novos medicamentos para combater o tumor de pele.

 

Trata-se de uma molécula sintética que ativa dois programas de morte celular: a apoptose e a autofagia.

 

A apoptose é uma modalidade específica de morte celular, ligada ao controle do desenvolvimento e do crescimento, enquanto a autofagia é um processo pelo qual as células são digeridas.

 

O grupo de cientistas do Centro Nacional de Pesquisas Oncológicas (CNIO, na sigla em espanhol), dirigido por María Soengas, tinha conseguido, em pesquisas anteriores, encontrar os compostos capazes de ativar a apoptose em células de melanoma, mas estes medicamentos tinham sérios efeitos colaterais ou não eram suficientemente potentes contra a metástase.

 

"O interessante" deste estudo, publicado no último número da revista científica Cancer Cell, é ter descoberto o modo pelo qual se ativam simultaneamente os dois processos de morte celular, segundo María, que especificou que, até o momento, os medicamentos só eram capazes de ativar um destes processos e não os dois ao mesmo tempo.

 

"Vimos que com ratos é efetivo, agora temos que melhorar a administração e a eficácia", afirmou.

Mais conteúdo sobre:
câncer saúde ciência

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.