Descoberta substância que trata depressão em pacientes de Parkinson

O pramipexol seria eficaz para atenuar os sintomas de depressão, que atinge 35% das pessoas que tem Parkinson

Efe

10 Maio 2010 | 09h45

LONDRES - O pramipexol, um agonista dopaminérgico, pode ser útil para combater a depressão em pacientes com mal de Parkinson, segundo um estudo publicado na última edição da revista científica The Lancet. Aproximadamente 35% das pessoas que têm a doença sofrem de depressão.

 

Veja também:

linkBritânico é diagnosticado com mal de Parkinson aos 23 anos

linkAtividade ao ar livre melhora saúde mental em 5 minutos, diz estudo

 

Estudos anteriores demonstraram que os agonistas dopaminérgicos, como o pramipexol, que contrasta com a diminuição da produção de dopamina no cérebro, são eficazes para atenuar os sintomas de depressão na maioria das pessoas que não têm Parkinson.

 

Uma equipe da Universidade de Nápoles, liderada pelo neurologista Paolo Barone, iniciou uma pesquisa na qual participaram 296 pacientes procedentes de 12 países europeus e da África do Sul, com objetivo de buscar provas de que essa substância também pode ajudar a tratar pacientes de Parkinson.

 

Do total, 144 tomaram pramipexol e os 152 restantes um placebo, e ficou constatado que diminuiu muito os sintomas de depressão em 80% dos pacientes que tomaram o princípio ativo.

 

No entanto, efeitos colaterais como náuseas, enjoos e dores de cabeça, também foram sentidos entre os pacientes que tomaram a substância.

 

Segundo os autores da pesquisa, o estudo demonstra que este tipo de tratamento deveria começar a ser considerado para os doentes de Parkinson que tenham sintomas fortes de depressão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.