Descobertas relíquias da tumba do rei inglês Ricardo II

O conteúdo estava numa cigarreira, com data de 31 de agosto de 1871

REUTERS

16 Novembro 2010 | 18h11

LONDRES (Reuters Life!) - A Galeria Nacional de Retratos, de Londres, anunciou na terça-feira que um arquivista descobriu relíquias da tumba do rei medieval inglês Ricardo II quando pesquisava documentos do primeiro diretor da galeria, George Scharf.

Entre centenas de diários e cadernos deixados em caixas fechadas há anos existe material retirado do caixão do monarca, bem como esboços do seu crânio e dos ossos.

O conteúdo estava numa cigarreira, com data de 31 de agosto de 1871. Só foi possível identificar o material como relíquias de uma tumba real graças à comparação da data citada na caixa com os diários e com desenhos feitos no mesmo dia.

A cigarreira continha fragmentos de madeira, possivelmente do próprio caixão real, e um pedaço de tecido.

Registros daquela época revelam que Scharf estava presente na abertura das tumbas reais na abadia de Westminster, e um pedaço de couro corresponde ao desenho feito por ele de uma luva encontrada no caixão.

Segundo a Galeria Nacional de Retratos, um relato completo do fato foi registrado pelo reverendíssimo Arthur Stanley, deão de Westminster. O relato foi publicado em 1879.

Scharf, que também testemunhou a abertura dos túmulos de Eduardo VI, Henrique VII, Jaime I e Elizabeth de York, fez esboços minuciosos do crânio de Ricardo II, inclusive com medidas detalhadas.

A galeria disse que a tumba de Ricardo II foi aberta em 1871 para limpeza, e que havia muitos presentes provavelmente devido à curiosidade sobre se o rei - que governou de 1377 a 1399 - havia sido morto por uma machadada.

O crânio não continha evidências dessa agressão. Muitos historiadores acreditam que ele morreu de fome no cativeiro, em 1400, após ser destronado por Henrique IV.

(Reportagem de Mike Collett-White)

Mais conteúdo sobre:
INGLATERRARICARDORELIQUIAS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.