Descoberto 'interruptor genético' para quimioterapia

Essa descoberta deverá ajudar médicos a testar a resistência à poderosa droga tamoxifeno

AP

12 de novembro de 2008 | 18h03

Cientistas apontaram o "botão liga-desliga" molecular que a poderosa droga tamoxifeno usa para atacar o câncer de mama, e que não permite que a substância funcione em algumas mulheres.  Essa descoberta deverá ajudar médicos a testar a resistência ao medicamento, o principal tratamento para câncer de mama provocado pelo hormônio estrogênio, disseram os pesquisadores. O tamoxifeno não funciona de um quarto a um terço das mulheres tratadas com ele.  Um teste para resistência, baseado na pesquisa, publicada na terça-feira, 12, na Nature, levará pelo menos cinco anos para ficar pronto, disse o co-autor do estudo, Jason Carroll. O tamoxifeno desliga um gene que faz com que os tumores cresçam, mas algumas vezes é derrotado em uma briga molecular com outra proteína, disse Carroll. "Se esse 'botão' falha, o tamoxifeno falha", disse. "O 'botão' está escondido no fundo do genoma, e no próprio gene."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.