Descoberto método para selecionar melhor esperma em fertilizações in vitro

Proteína permite eleger espermatozoides saudáveis em homens estéreis para tratamentos com maior garantia

Efe

02 de agosto de 2010 | 20h10

LONDRES - Um grupo de pesquisadores americanos e britânicos descobriu um método que permite a seleção de espermatozoides saudáveis em homens estéreis para serem utilizados com certa garantia em tratamentos de fertilização in vitro, segundo informou nesta segunda-feira, 2, o jornal inglês The Times.

A técnica tem como objetivo localizar o sêmen que não está geneticamente danificado e que, portanto, é mais capaz de fecundas os óvulos femininos.

Essa identificação é realizada por meio de um corante de proteína que envolve o esperma defeituoso por meio de sua capacidade de se acoplar ao DNA danificado, segundo o jornal.

Depois de escolher os melhores espermatozoides, eles seriam injetados nos óvulos das mulheres por meio de uma técnica de fertilização in-vitro chamada injeção intracitoplasmática.

Os primeiros testes em pacientes para testar o método, desenvolvido por Dagan Wells, da Universidade inglesa de Oxford, e George Pieczenik, da Universidade americana de Rutgers, podem começar no início de 2011, depois que a equipe receber um ajuda de R$ 333.500 do laboratório Serono.

Se esses testes forem bem sucedidos com voluntários, o novo tratamento poderia ajudar milhares de homens estéreis, pois seu sêmen apresenta um grande número de espermatozoides geneticamente danificados e incapazes de fecundar óvulos.

"O esperma com DNA fragmentado é difícil de eliminar por meio de um microscópio, mas essa proteína pode distinguir perfeitamente o danificado do bom", disse Wells.

O próximo passo, se ficar demonstrado que não há risco de toxicidade na utilização da proteína, seria pedir autorização à Autoridade de Embriologia e Fertilização do Reino Unido para iniciar os testes com essa técnica em tratamentos de fertilidade.

De acordo com Wells, a utilização dessa proteína é barata, com a qual o custo do tratamento de fertilização in vitro - cujo preço gira em torno de R$ 11 mil - não encareceria mais de R$ 270.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.