Despenca o uso de Vytorin e Zetia

Estudo sobre remédios contra colestoral aumenta preocupação entre médicos do mundo todo

Associated Press,

30 de março de 2008 | 16h08

Falhas nos resultados encontradas no teste do Vytorin, remédio usado por milhões de pessoas para reduzir o colesterol, alarmaram, ainda mais, alguns médicos em relação a sua eficácia que pode ser duvidosa.   O uso desse medicamento e de uma droga relacionada, Zetia, continua despencando após os resultados relatados domingo,30, e perguntas sobre porquê quase dois anos após o estudo terminado foram divulgados os resultados.   Muitos doutores prescreviam Vytorin sem tentar medicamentos mais antigos, comprovados, como as diretrizes recomendam. A mensagem chave do estudo é "não faça isso", diz Dr. Roger Blumenthal, cardiologista da Universidade Johns Hopkins e orador da associação americana do coração.   Os resultados foram apresentados em uma faculdade americana na conferência da cardiologia em Chicago e, publicados na internet pelo jornal de medicina "New England".   O congresso e as autoridades estatais em New York têm investigado porque os resultados não foram liberados para quase dois anos depois que o estudo terminou.   O Dr. James Stein, diretor da cardiologia preventiva na universidade de Wisconsin-Madison, disse que Vytorin "foi sempre uma segunda ou uma terceira droga", recomendou outros remédios primeiramente. Stein acredita que Zetia e Vytorin são seguros e provarão eficácia.

Tudo o que sabemos sobre:
VytorinZetiacolesterol

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.