Detidos dois irmãos suspeitos de adulterar leite na China

Leite vendido por eles para empresa estava contaminado com melamina, composto usado em resinas sintéticas

Efe,

15 de setembro de 2008 | 05h52

Dois irmãos que possuem uma central leiteira na província de Hebei (norte da China) foram detidos por suspeita de adulterar o leite que vendiam com melamina, o que causou a intoxicação de 580 bebês no país e a morte de dois deles, informaram nesta segunda-feira, 15, fontes policiais. Leite intoxica 580 bebês e mata dois na China Segundo a polícia, citada pela agência oficial Xinhua, os irmãos, de sobrenome Geng, são os principais suspeitos de um escândalo que voltou a semear dúvidas entre os consumidores chineses. Os irmãos Geng possuem uma estação recoletora de leite desde maio de 2004 em Hebei (a mesma província onde a Sanlu tem sua sede) e foram acusados de vender à marca três toneladas de leite contaminado ao dia com melamina, um composto cristalino utilizado na fabricação de resinas sintéticas. Segundo a informação de Xinhua, o mais velho dos irmãos, de 48 anos, começou a adulterar o leite no final do ano passado, quando a marca Sanlu rejeitou em várias ocasiões suas entregas porque não cumpriam os padrões necessários. Os irmãos Geng, segundo a Xinhua, confessaram que sabiam que seus atos representavam uma fraude contra a Sanlu, e reconheceram que sua família jamais bebeu o leite adulterado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.