Dez cidades de SP fazem mutirão de testes grátis de HIV neste sábado

Campanha 'Fique Sabendo' vai até 1º de dezembro e pretende realizar cerca de 120 mil exames

estadão.com.br

19 Novembro 2010 | 19h47

SÃO PAULO - A Secretaria de Estado da Saúde, em parceria com dez municípios paulistas, promove neste sábado, 20, plantão para testes gratuitos de HIV na campanha "Fique Sabendo" 2010. A ação busca incentivar o diagnóstico precoce da infecção pelo vírus da aids, algo considerado fundamental para o sucesso do tratamento.

 

Veja também:

link África do Sul pode reduzir HIV à metade  

link Francês descobridor do HIV se transfere para universidade chinesa 

As cidades que manterão atendimento neste sábado são: Araçatuba, Batatais, Guarulhos, Itanhaém, Itaquaquecetuba, Jardinópolis, Jaú, Marília (unidade volante), Sorocaba (das 9h às 15h em unidade móvel na comunidade São Caetano - Jardim São Paulo - e das 16h às 21h na pista de caminhada do Campolim) e Tupã.

Até 1º de dezembro, Dia Mundial de Combate à Aids, cerca de 120 mil exames, dos quais 20 mil testes rápidos (com resultado em 15 minutos) devem ser feitos em todo o Estado.

Mais de 460 municípios aderiram à campanha, num total de 3,5 mil unidades de saúde. Ao todo, foram mobilizados para a ação cerca de 40 mil profissionais de diferentes áreas, entre enfermeiros, psicólogos, assistentes sociais e técnicos de laboratório.

Em alguns municípios, também haverá testes fora dos serviços de saúde e unidades que funcionarão em horários alternativos para expandir o acesso do exame anti-HIV à população.

Além de oferecer exames a pessoas mais vulneráveis, como usuários de drogas, homossexuais, travestis e transexuais, a campanha pretende incentivar quem nunca fez o teste a conhecer seu status sorológico, independentemente da sexualidade.

"É fundamental que as pessoas com vida sexual ativa façam o teste, para descobrir se são ou não portadoras do vírus e, em caso de positividade, iniciar imediatamente o acompanhamento médico", afirma a coordenadora do Programa Estadual de DST/Aids, Maria Clara Gianna.

Para divulgar a ação, foram confeccionados 10 mil cartazes e 5 milhões de folders sobre o teste rápido, além de 20 mil camisetas e 20 mil coletes para os profissionais envolvidos na campanha.

Mais conteúdo sobre:
HIV aids mutirão testes rápidos

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.