Marcos Correa/PR
Marcos Correa/PR

Discurso de Bolsonaro muda quando fala de cloroquina e da vacina chinesa

Presidente defende a comprovação científica do imunizante, algo que sempre ignorou em relação ao remédio

Redação, O Estado de S.Paulo

21 de outubro de 2020 | 14h38
Atualizado 22 de outubro de 2020 | 15h55

SÃO PAULO - O discurso do presidente Jair Bolsonaro apresenta contradições quando ele defende o uso da cloroquina, que não tem comprovação científica, para combater a pandemia de coronavírus, e quando fala da possibiliade da vacina para a covid-19. Nos últimos dias, ele mudou o foco e passou a defender a "comprovação científica" da vacina, a mesma comprovação que ele ignorou por meses quando falava da cloroquina.

O Estadão comparou algumas falas do presidente, anteriores e agora mais recentemente, para mostrar um pouco dessa mudança de postura. Se antes ele reclamava do pedido de comprovação científica para a cloroquina, agora ele pede isso para aprovar a vacina. Em relação à cloroquina, medicamento rechaçado em dezenas de artigos científicos para o combate científico, ele sugeriu que as pessoas tomassem como profilaxia. Agora, avisa que o "povo brasileiro" não será cobaia para a vacina.

Confira as frases contraditórias de Jair Bolsonaro:

LINHA DO TEMPO: Bolsonaro e a comprovação científica

766E3C01-53A8-483E-9B06-CCE0C7108013
Ainda não existe comprovação científica. Mas (a cloroquina está) sendo monitorada e usada no Brasil e no mundo. Contudo, estamos em Guerra: 'Pior do que ser derrotado é a vergonha de não ter lutado'
E0EAB005-9061-4B3D-86B9-AEB61693E313
Jair Bolsonaro, em 20 de maio

766E3C01-53A8-483E-9B06-CCE0C7108013
Ah, não tem comprovação científica de que seja eficaz. Mas também não tem comprovação científica de que não seja eficaz. Nem que não tem, nem que tem
E0EAB005-9061-4B3D-86B9-AEB61693E313
Jair Bolsonaro, em 16 de julho, sobre a cloroquina

766E3C01-53A8-483E-9B06-CCE0C7108013
Estudando um pouquinho, fui ver, lá na Guerra do Pacífico. O soldado chegava ferido, não tinha de quem receber sangue. Descobriram: vamos meter água de coco na veia dele. E deu certo. Dezenas, centenas de vidas foram salvas. Se fosse esperar uma comprovação científica, quantos não teriam morrido naquele momento?
E0EAB005-9061-4B3D-86B9-AEB61693E313
Jair Bolsonaro, em 6 de agosto

766E3C01-53A8-483E-9B06-CCE0C7108013
Agora vem aquela historinha do passado: ‘Ah, mas não tem comprovação científica’. Porra, e daí? Tá certo? Qual alternativa? Não tinha alternativa, toma hidroxicloroquina ou não toma nada
E0EAB005-9061-4B3D-86B9-AEB61693E313
Jair Bolsonaro, em 24 de setembro

766E3C01-53A8-483E-9B06-CCE0C7108013
Agora, as vacinas têm que ter comprovação científica, diferente da hidroxicloroquina
E0EAB005-9061-4B3D-86B9-AEB61693E313
Jair Bolsonaro, em 21 de outubro

766E3C01-53A8-483E-9B06-CCE0C7108013
Para o meu Governo, qualquer vacina, antes de ser disponibilizada à população, deverá ser comprovada cientificamente pelo Ministério da Saúde e certificada pela Anvisa
E0EAB005-9061-4B3D-86B9-AEB61693E313
Jair Bolsonaro, em 21 de outubro

766E3C01-53A8-483E-9B06-CCE0C7108013
O povo brasileiro não será cobaia de ninguém. Não se justifica um bilionário aporte financeiro num medicamento que sequer ultrapassou sua fase de testagem
E0EAB005-9061-4B3D-86B9-AEB61693E313
Jair Bolsonaro, em 21 de outubro

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.