Dois bebês nascem com microcefalia associada ao zika nos EUA

Até o momento, 13 bebês nasceram com problemas relacionados ao zika no país, segundo o Centro de Prevenção e Controle de Doenças

O Estado de S.Paulo

04 Agosto 2016 | 22h46

Dois bebês nasceram com microcefalia na Califórnia, de mães que foram infectadas com o zika durante a gravidez em países em que o vírus é endêmico, conforme informou nesta quinta-feira, 4, o Departamento de Saúde Pública. Até o momento, 13 bebês nasceram com problemas relacionados ao zika no país, segundo o Centro de Prevenção e Controle de Doenças (CDC, na sigla em inglês). Outros seis fetos sofreram abortos ou eram natimortos. Na Califórnia, 114 pessoas foram infectadas com o vírus, incluindo 21 grávidas. Todos os casos têm relação com viagens ao exterior. 

No geral, 1.658 casos de zika foram registrados nos Estados Unidos até o dia 27 de julho. Ainda nesta quinta, o presidente Barack Obama afirmou que seu governo está “sem dinheiro” para combater a zika e acusou o Congresso, de maioria republicana, de não liberar fundos. “A situação voltou a ser crítica.”

Vacina. Conforme publicado nesta quinta na revista Science, um grupo de cientistas brasileiros e americanos completou mais uma etapa dos estudos pré-clínicos para o desenvolvimento de vacinas contra o vírus da zika para humanos. 

Um mês depois de anunciar que duas candidatas a vacina deram proteção completa a camundongos, o grupo comprovou em novo estudo que três tipos de vacina foram totalmente eficazes contra a infecção por zika em macacos rhesus. O trabalho é dos pesquisadores da Universidade de São Paulo (USP), do Beth Israel Deaconess Medical Center e do Instituto Walter Reed do Exército dos EUA. / FÁBIO DE CASTRO, COM AGÊNCIAS INTERNACIONAIS

 

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.