Fabio Motta/Estadão
Fabio Motta/Estadão

Dois micos-leões-dourados são encontrados mortos em Silva Jardim

Exames vão determinar se primatas foram infectados com a febre amarela; espécie está em risco de extinção

Clarissa Thomé, O Estado de S.Paulo

22 Março 2017 | 08h39

RIO - Dois micos-leões-dourados foram encontrados mortos em Silva Jardim, na Baixada Litorânea, na manhã desta terça-feira, 21. Os animais, que estavam próximos à BR-101, foram recolhidos e levados para o Instituto Municipal de Medicina Veterinária Jorge Vaitsman, no Rio. 

"Estamos bastante cautelosos com essa informação. Ainda não temos indícios de que os micos estivessem contaminados com a febre amarela. A única informação que temos é que eles não tinham marcas de atropelamento. Vamos esperar o resultado dos exames", afirmou Luís Paulo Ferraz, secretário executivo da Associação Mico-Leão-Dourado.

No Instituto Jorge Vaistman, será feita a autópsia dos micos e testes iniciais contra raiva. De lá, eles são encaminhados para a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), onde são realizados os exames para identificar a febre amarela.

A preocupação é maior com os micos-leões-dourados porque eles são espécie em risco de extinção. Nos anos 1980, havia apenas 200 livres na natureza. Hoje, são cerca de 3.200, espalhados em oito municípios, graças a um bem-sucedido programa de reintrodução das espécies.

Vacinação de micos. Uma das discussões que envolve pesquisadores da Fiocruz e do Ministério da Saúde é a possibilidade de vacinar contra febre amarela os micos-leões-dourados e os animais em cativeiro, como os do Centro de Primatologia do Rio de Janeiro, em Guapimirim.

No entanto, a dosagem para humanos não serve para os micos. A vacina teria de ser diluída. São necessários testes para identificar qual a dosagem segura para os micos-leões-dourados e que ainda se mostre eficaz contra febre amarela, após a dose ter sido diluída.

Esses estudos levariam alguns meses para ficar prontos. A expectativa dos pesquisadores é que a temperatura mais amena, a partir de abril, diminua a circulação de mosquitos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.