Dona de laboratório é indiciada por fabricação e venda ilegal

A empresária Claudina Rodrigues Bonfim, dona do Laboratório Fitoterápico A Cura, em Contagem, região metropolitana de Belo Horizonte, foi indiciada ontem pela Polícia Federal por tráfico de drogas, fabricação e venda de medicamentos sem autorização. O laboratório comercializava os controladores de apetite Emagrece Sim e Herbathin, que foram proibidos nos EUA e não tinham autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para serem vendidos no País. O laboratório foi interditado há dois meses. Os emagrecedores eram vendidos no exterior, pela internet e por telefone, como se fossem 100% naturais. Porém, um estudo americano apontou a presença de anfetaminas e tranqüilizantes, o que demandaria a apresentação de receita médica. Uma perícia no Brasil, onde há a suspeita de que o produto também seja vendido, detectou substâncias entorpecentes. A empresária responde ao inquérito em liberdade. Seu advogado não foi localizado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.