Droga contra mal de Parkinson pode aumentar risco de ataque cardíaco, derrame e morte

Para FDA, pacientes não devem parar de tomar Stalevo, mas devem informar caso tenham fatores de risco

Agência Estado

23 de agosto de 2010 | 20h44

SÃO PAULO - A Administração para Alimentos e Remédios (FDA, na sigla em inglês) dos Estados Unidos divulgou na última sexta-feira que investiga a possibilidade de um remédio para o tratamento de Parkinson, o Stalevo, aumentar o risco de ataque cardíaco, derrame e morte em pacientes idosos.

A agência recomendou aos pacientes que não parem de tomar a droga, mas os alertou de que devem avisar seus médicos caso tenham fatores de risco para doenças cardiovasculares, como obesidade, fumo, colesterol alto ou hipertensão. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.