Felipe Rau/Estadão
Felipe Rau/Estadão

É seguro ficar na fila da vacina da gripe? Posso esperar no carro? Veja 11 perguntas e respostas

CONTEÚDO ABERTO PARA NÃO-ASSINANTES: Campanha da vacinação contra gripe começou nesta segunda-feira, 23, em meio à pandemia do novo coronavírus

Priscila Mengue, O Estado de S.Paulo

23 de março de 2020 | 12h09

SÃO PAULO - A campanha de vacinação contra a gripe começou nesta segunda-feira, 23, voltada aos idosos e profissionais de saúde. Em meio à pandemia do novo coronavírus, dúvidas, boatos e informações imprecisas sobre a aplicação da vacina têm se espalhado. Confira abaixo as respostas para as dúvidas mais comuns.

Quem pode se vacinar agora?

A vacinação na rede pública é voltada para idosos e profissionais de saúde até 16 de abril. Depois dessa data, o foco também estará em pessoas com doenças crônicas, professores e profissionais das forças de segurança. Por fim, a partir de 9 de maio, a prioridade será também de crianças de 6 meses a menores de 6 anos, adultos de 55 a 59 anos, gestantes, puérperas (até 45 dias após o parto), pessoas com deficiência, povos indígenas, funcionários do sistema prisional, presidiários e adolescentes e jovens de 12 a 21 anos que estão em medidas socioeducativas.

Por que a vacina é recomendada mesmo em meio à pandemia?

Embora sejam viroses distintas, a gripe e o novo coronavírus têm sintomas semelhantes. A população estar vacinada contra a gripe é uma forma de facilitar o diagnóstico de suspeita do covid-19. Além disso, a gripe comum também pode trazer riscos à saúde da população de risco.

A vacina protege contra o novo coronavírus?

Não, o covid-19 não é considerado uma gripe. A vacina aplicada neste ano protege contra os três tipos de vírus da gripe que mais circularam no Hemisfério Sul em 2019: Influenza A (H1N1), Influenza B e Influenza A (H3N2).

Onde ocorre a campanha de vacinação em São Paulo?

Em todas as Unidades Básicas de Saúde (UBSs). Na cidade de São Paulo, a aplicação ocorre em 468 UBSs, além de escolas públicas, casas de acolhida e conjuntos habitacionais, dentre outros espaços. Confira as listas de UBSs da capital paulista e, também, das instituições de educação pública que participam da campanha de vacinação.

As datas da vacinação são definidas pela primeira letra do nome do morador em São Paulo?

Algumas cidades paulistas adotaram um cronograma de aplicação da vacina pela primeira letra do nome do idoso. Em Osasco, por exemplo, os dias 23 e 30 de março são exclusivos para pessoas cujo nome começa com as letras que vão de A a E, enquanto os dias 24 e 31 de março são para as letras de F a J. A medida não foi, contudo, adotada na cidade de São Paulo.

Posso me vacinar dentro do carro em São Paulo?

Algumas cidades do Estado de São Paulo, como Osasco e Itapevi, criaram uma espécie de “drive-thru”, com pontos voltados para pessoas que preferem ser vacinadas dentro do carro. O procedimento também se repete em capitais de outros Estados, como Rio e Curitiba. Na cidade de São Paulo, a medida será realizada de forma itinerante. Um dos primeiros locais a receber a iniciativa na capital paulista é a UBS Max Perlman, na Vila Nova Conceição.

Farmácias privadas vão aplicar a vacina da gripe em São Paulo?

Sim, o governo do Estado fechou uma parceria com redes de farmácias privadas. As aplicações começam em 13 de abril e, a princípio, exclusivamente na capital.

Pessoas gripadas podem se vacinar?

O infectologista Jean Gorinchteyn, do Hospital Emílio Ribas, recomenda que todas as pessoas que estejam com sintomas de alguma doença contagiosa, como tosse, febre e diarreia evitem ir a um posto de vacinação por 15 dias.

Como minimizar a possibilidade de contrair o novo coronavírus na vacinação?

Evitar os primeiros dias da campanha, quando costuma ter maior aglomeração, é uma das dicas do infectologista Jean Gorinchteyn. Ele também indica que os idosos peçam a familiares e pessoas próximas que já estão em circulação na rua para verificarem os locais mais próximos e com menos aglomerações. 

Como se proteger do covid-19 na fila?

O infectologista Jean Gorinchteyn indica que as pessoas mantenham uma distância de dois metros em relação aos demais ocupantes da fila. "Na fila você consegue fazer isso (evitar aglomeração), o mais difícil é entrando todo mundo junto na mesma sala. Aí é um problema e quem está organizando a fila e a vacinação para que isso não ocorra”, ressalta. Na cidade de São Paulo, a recomendação prioritária é que a aplicação ocorra nas áreas externas das unidades.

Se vacinar dentro do carro reduz as chances de contrair o novo coronavírus?

"É uma forma muito mais interessante, evitando as aglomerações em filas (de pessoas em pé). É uma forma bastante criativa e válida para a prevenção”, diz o médico Jean Gorinchteyn.

Existe vacina para o covid-19?

Desde que o vírus começou a se espalhar, cientistas de países como China e Estados Unidos começaram a realizar estudos para desenvolver uma vacina. Como as pesquisas ainda estão em fase de testes, ainda não há como estimar quando ela estará disponível.

Tudo o que sabemos sobre:
gripecoronavírusvacinação

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.