Michaela Rehle/Reuters
Michaela Rehle/Reuters

Eclipse parcial do Sol é visível sobre o Oriente Médio e a Europa

Fenômeno atingiu auge em Genebra, Berna e outras cidades suíças no meio da manhã

AP

04 Janeiro 2011 | 11h05

GENEBRA - O primeiro eclipse parcial do Sol em 2011 foi observado na manhã esta terça-feira, 4, no Oriente Médio e em grande parte da Europa. Os romenos acordaram sob uma luz rosada no céu, enquanto os suecos acompanharam um belo nascer do Sol.

Na Suíça, a cortina de nuvens e neve parecia um anoitecer de luzes cintilantes, enquanto as pessoas pegavam trens e ônibus para chegar ao trabalho. O fenômeno atingiu seu auge em Genebra, Berna e outras cidades do país no meio da manhã. Em seguida, o dia cinzento em altitudes mais baixas começou a clarear.

Cerca de dois terços do Sol sumiu de vista por trás da Lua nesta terça, algo que não ocorria na Suíça desde agosto de 1999. Um eclipse menor foi observado no país em agosto de 2008. A Secretaria da Saúde local alertou as pessoas, especialmente crianças, a usarem óculos especiais de proteção - e não os caseiros - para observar o fenômeno.

No sul da Romênia, um céu limpo ofereceu uma chance de vislumbrar um brilho rosa pálido e quase sobrenatural que se espalhou ao longo da capital, Bucareste. Moradores subiram no topo de edifícios cobertos de neve para ter uma visão melhor, ou usaram óculos escuros e se amontoaram próximo a estações de metrô na Praça da Revolução. Alguns assistiram o espetáculo ao vivo pela televisão. Os romenos não terão outro eclipse até março de 2015.

"Esta manhã vi uma luz estranha", contou o estudante de arquitetura Andrei Carlescu, de 21 anos, que ficou fascinado pela maneira como a luz apareceu no horizonte. "No começo, não sabia o que estava acontecendo. Havia crianças de cerca de 9 ou 10 anos que usavam óculos especiais e olhavam para isso."

O eclipse foi visto primeiro nesta terça em Jerusalém, onde o Sol parecia ter perdido sua parte superior direita. A ocultação transitória da principal estrela do Sistema Solar ocorre quando a Lua se alinha entre o Sol e a Terra, projetando uma sombra sobre a superfície do planeta e obscurecendo o disco solar. Durante um eclipse parcial, apenas parte dele é "apagado".

A Europa Ocidental acordou com um nascer do Sol em eclipse. Astrônomos aguardam o maior fenômeno sobre a Suécia, onde cerca de 85% do astro será bloqueado. "É graças à posição da Lua", explicou Niclas Henricson, chefe do Observatório Tycho Brahe, localizado no sul do país.

Dez pessoas se reuniram no observatório para conferir o eclipse com telescópios móveis, caso o tempo nublado ajude. Segundo ele, os suecos só têm essa oportunidade uma vez a cada 45 anos - o próximo eclipse solar total do país será em 2126.

Para não perder o espetáculo, o empresário de tecnologia da informação Christian Ander, de 31 anos, foi a um parque para vê-lo, mas, devido ao fato de ter ocorrido logo cedo, não era tão perceptível como poderia ter sido se tivesse acontecido no final do dia. "Foi lindo, como uma espécie de nascer do Sol", revelou.

Na cidade de Cracóvia, sul da Polônia - onde a sombra da Lua pôde ser vista apagando o Sol progressivamente -, as pessoas assistiram a uma transmissão televisiva ao vivo. A forma de "croissant de ouro" era visível no céu escuro pela manhã. Apesar disso, a maior parte do país esteve coberta por nuvens que apagaram a visão espetacular.

Um pôr-do-sol em eclipse será visível desde a Rússia central, passando por Cazaquistão, Mongólia e noroeste da China.

Mais conteúdo sobre:
eclipse solar Oriente Médio Europa

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.