Egito desmente roubo de pênis de Tutancâmon

Especialista afirma que órgão caiu na areia durante exame, mas foi recolocado no lugar

ANSA,

29 de outubro de 2007 | 17h49

O suposto roubo do pênis da múmia do faraó Tutancâmon foi classificado como "ridículo" pelo secretário-geral do Conselho Supremo de Antiguidades Egípcias, Zahi Hawass. A pedido da ANSA, Hawass comentou as declarações da professora da Universidade Americana do Cairo, Salima Ikram, sobre o roubo dizendo que "é tudo falso". "O pênis caiu na areia há dois anos, quando abrimos o sarcófago para fazer um TAC (Temperatura Ambiental de Carcaça, um tipo de exame arqueológico) na múmia, mas logo o recuperamos", disse Hawass."E por qual motivo deveriam roubar o pênis? Para vendê-lo? Como teriam provado que era o pênis de Tutancâmon?", acrescentou. Em um documentário que será transmitido nesta terça-feira, 30, pela rede de televisão britânica Channel Five, Salima afirma ter descoberto o desaparecimento do pênis do faraó após ter comparado as radiografias da múmia feitas em 1926 com aquelas realizadas em 1968, informou o tablóide inglês The Sun. A especialista suspeita que o roubo, no qual também desapareceu uma preciosa jóia do faraó, tenha ocorrido durante a Segunda Guerra Mundial, quando o túmulo de Tutancâmon era pouco vigiado. O predecessor de Hawass, Abdel Halim Nureddin, disse que Salima é uma pessoa "que busca a fama". A professora não foi localizada para um comentário. Uma outra teoria defende que o roubo tenha sido realizado por soldados britânicos que combatiam no norte da África. A múmia de Tutancâmon, que se encontra em seu sarcófago, será exposta ao público pela primeira vez no próximo mês em Luxor, no sul do Egito. Os restos do faraó serão cobertos com uma tela de linho e colocados em um sarcófago de vidro, com equipamentos que controlam o ar e a umidade. Tutancâmon tornou-se faraó aos 10 anos de idade e reinou até os 19, entre 1333 a 1323 a.C. Seu túmulo, que foi descoberto em 1922 pelo arqueólogo britânico Howard Carter, continha um tesouro formado por objetos de ouro que juntos somavam cerca de 1,2 tonelada.

Tudo o que sabemos sobre:
TutancâmonEgitomúmia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.