Egito lança campanha contra beijos para combater gripe

No mundo árabe, beijo entre amigos do mesmo sexo e entre parentes é uma saudação habitual

Efe,

07 Maio 2009 | 06h59

O governo egípcio lançou uma campanha para evitar que as pessoas se beijem, que tem como objetivo impedir a propagação da gripe suína no país, informa nesta quinta-feira, 7, o diário independente "Al-Masri Al-Youm".

 

Veja também

especial Mapa: veja como a gripe está se espalhando

especialEntenda a gripe suína: perguntas e respostas 

video Infectologista esclarece cuidados que serão tomados 

mais imagens Veja galeria de fotos da gripe suína pelo mundo   

som 'Meios de transportes facilitam a propagação'

documento Folheto oficial do Ministério da Saúde  

 

Em entrevista ao diário, o responsável da unidade de Emergência do Centro Nacional de Pesquisa, Adel Ashour, indicou que serão emitidos anúncios na TV para "conscientizar as pessoas da importância de não se beijar, especialmente nesta etapa crítica de expansão do vírus".

 

Ashour também advertiu que outras doenças podem ser transmitidas através dos beijos.

 

No mundo árabe, os beijos entre amigos do mesmo sexo e entre parentes são uma saudação habitual, uma demonstração de carinho e proximidade.

 

Com uma população de quase 80 milhões de habitantes, o Egito foi um dos países árabes mais ativos no momento de adotar medidas contra a gripe suína, mas nenhum caso foi registrado em seu território.

Mais conteúdo sobre:
gripe suína influenza A (H1N1)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.