Em assembleia, médicos e enfermeiros decidem manter o atendimento na Santa Casa de SP

Mesmo com atraso em pagamentos desde novembro, profissionais aceitaram esperar até 18 de março, conforme proposto pela entidade

Fabiana Cambricoli, O Estado de S.Paulo

27 Fevereiro 2015 | 18h55

SÃO PAULO - Os sindicatos dos médicos e dos enfermeiros de São Paulo decidiram em assembleias realizadas nesta sexta-feira, 27, manter o atendimento na Santa Casa de São Paulo, mesmo com o atraso no pagamento de salários.

Em crise financeira e com déficit superior a R$ 400 milhões, a entidade não pagou a remuneração de novembro e o 13.º salário para parte dos funcionários.

Em audiência de conciliação realizada na última quarta-feira, 25, na Superintendência Regional do Ministério do Trabalho em São Paulo, a Santa Casa prometeu regularizar os pagamentos até o dia 18 de março. A proposta foi levada para assembleia das duas categorias e aceita pela maioria dos funcionários.

O superintendente da Santa Casa, Irineu Massaia, esteve presente na assembleia do Sindicato dos Enfermeiros e reafirmou o compromisso de regularizar o pagamento na data prometida. Disse ainda que, com as mudanças feitas na gestão nos últimos meses, a entidade economizou mais de R$ 2,2 milhões em contratos revistos. De acordo com Massaia, o deficit mensal da Santa Casa passou de R$ 4 milhões para R$ 380 mil. 

Mais conteúdo sobre:
santa casa

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.