Diogo Moreira/Governo do Estado de São Paulo
Diogo Moreira/Governo do Estado de São Paulo

Em cinco dias, total de mortos em SP triplica; governo pede respeito à quarentena

Mais 171 pessoas contraíram coronavírus no Estado de São Paulo nas últimas 24 horas

Bruno Ribeiro, O Estado de S.Paulo

27 de março de 2020 | 17h23


Mais 171 pessoas contraíram coronavírus no Estado de São Paulo nas últimas 24 horas, segundo balanço divulgado nesta tarde pela Secretaria de Estado da Saúde. O Estado soma 1.223 pacientes que foram testados e tiveram resultado positivo para a doença, e chega a 69 mortes. O total de mortos subiu 209% nos últimos cinco dias (eram 22 mortos no último domingo).

Segundo o secretário estadual da Saúde, José Henrique Germann, os dados mostram crescimento de casos novos em uma taxa menor do que no restante do Brasil, e isso ocorre segundo ele por causa das ações de isolamento.Germann afirmou que, desde o dia 15, quando se chegou no “paciente número 100” (a confirmação da centésima pessoa infectada), o número de infectados subiu 476% no Estado. No mesmo período, no Brasil, esse percentual de crescimento foi de 936%.

"As medidas que estamos adotando estão em linha com literatura e com todo a história" do combate a epidemias, segundo Germann, ao fazer apelo à população para que não relaxem o isolamento e se mantenham em casa. 

O diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, que faz parte do grupo que analisa a evolução da doença, afirma que havia projeção de que uma pessoa  contaminada infectasse outras cinco no Estado. Com as ações de isolamento, essa taxa seria de um contaminado infectado outras duas pessoas. 

Segundo os técnicos, havia expectativa sobre como o vírus iria se comportar no Brasil e no hemisfério sul da mesma foram como se comportou na China e na Europa. “O comportamento é o mesmo”, disse o secretário de Saúde, 

 

"Dos dez novos óbitos contabilizados hoje, quatro são homens (66, 67, 91 e 93) e seis mulheres (63, 63, 65, 77, 85 e 89).  Nove são da Capital e um do município de Guarulhos", informa o governo paulista, por nota. 

São Paulo comprou cerca de 30 mil testes para o corona. Há, segundo o secretário, 17 laboratórios inscritos para fazer os exames, além de um processo de compra de mais 300 mil kits para o exame.

Tudo o que sabemos sobre:
coronavírusSão Paulo [estado]

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.