Secretaria da Saúde/Divulgação
Secretaria da Saúde/Divulgação

Em dez meses, mãe doa 100 litros de leite a hospital de SP e bate recorde

Volume é suficiente para alimentar 350 crianças por um mês; dona de casa será homenageada

estadão.com.br

04 Outubro 2010 | 15h47

SÃO PAULO - Aos 31 anos, a dona de casa Gildilene Andrade dos Santos, moradora do bairro Cidade Tiradentes, na zona leste da capital paulista, é a doadora do maior volume de leite materno do Hospital Maternidade Leonor Mendes de Barros, da Secretaria de Estado da Saúde.

Nos últimos dez meses, Gildilene já doou 100,7 litros aos estoques da unidade, quantidade suficiente para alimentar, aproximadamente, 350 crianças por um mês.

A dona de casa será homenageada juntamente com outras doadoras nesta terça-feira, 5, a partir das 9h, em evento promovido pelo banco de leite do hospital para celebrar o Dia Nacional da Doação de Leite Humano, celebrado em 1º de outubro.

Para Gildilene, o segredo para doar tanto leite é uma boa alimentação e evitar o estresse. "Quando ficava nervosa, não conseguia aproveitar muito leite. Manter a calma é fundamental", afirma.

Casada há 12 anos, ela conta que ser doadora era um sonho de sua mãe que finalmente pôde realizar. "Minha mãe sempre quis doar a sobra de leite que tinha, mas na época não havia para onde doar. Hoje, eu também tenho essa sobra e, em vez de desperdiçá-la, ajudo outra mãe que não pode amamentar seu filho", diz.

A dona de casa recomenda que todas as mulheres sigam o exemplo dela. "Ajudar uma pessoa em dificuldade é muito gratificante, faz bem para quem doa e para quem recebe. Nós que temos condições não podemos ficar paradas", avalia.

Mãe de dois filhos (o mais novo com 1 ano), Gildilene não pretende engravidar novamente, mas quer continuar doando leite enquanto puder. "Além de contribuir para as crianças que precisam, a doação beneficia a doadora, que perde peso mais rapidamente, reduz o risco de câncer de mama e ovário e de osteoporose", explica a coordenadora da rede estadual dos bancos de leite, Maria José Mattar.

Todo leite materno doado passa por um processo de pasteurização, é submetido a controles de qualidade e distribuído aos bebês prematuros e a outras crianças que são clinicamente impossibilitados de receber leite do seio da mãe.

Para doar, basta ir até um Banco de Leite Humano ou ligar para (11) 2692-4068. No interior do Estado, as interessadas podem obter mais informações pelo telefone (16) 3610-2649. A lista de bancos de São Paulo está disponível no site www.redeblh.fiocruz.br.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.