Arquivo pessoal/Katya Lira
Arquivo pessoal/Katya Lira

Em Fortaleza, restaurantes reabrem com restrições no início da fase 2 da retomada econômica

Arquidiocese de Fortaleza decide não reabrir templos católicos; Na Região Metropolitana, as atividades avançam à fase 1 com a abertura do comércio

Lôrrane Mendonça, Especial para o Estado

22 de junho de 2020 | 18h41

FORTALEZA - Há pouco mais de três meses com a cozinha praticamente parada, restaurantes de Fortaleza reabriram as portas para receber o público, nesta segunda-feira, 22. Com o início da fase 2 da retomada da economia local, os estabelecimentos estão permitidos a funcionar, mas com restrições. Uma delas é a redução a 40% da equipe de funcionários, além das medidas de biossegurança para garantir que clientes não sejam infectados pelo coronavírus.

No bairro Dionísio Torres, área nobre da capital cearense, um espaço para alimentação ao ar livre adotou diversas estratégias de segurança da saúde, sendo uma delas a instalação de um túnel de desinfecção veicular. A estrutura dispõe de tecnologia com sensores de presença que ativam o produto atóxico para humanos e seguro para os veículos, durante a entrada no estacionamento de forma automática.

O ambiente conta com restaurantes e food trucks e um estacionamento privativo para os clientes. O proprietário do espaço, Pedro Neto, reforça ainda outras medidas adotadas pelo estabelecimento.

“Temos o túnel de desinfecção e, além disso, foram instalados sistemas de atomização de peróxido de hidrogênio (H2O2) em todo o complexo, nas áreas abertas e fechadas, higienização diária antes de abrir e no fechamento da casa; nos ambientes com ar condicionado todo o espaço é oxi-sanitizado com ozônio de alto fluxo e realizada desinfecção dos filtros dos aparelhos de ar condicionados”.

O analista de sistemas Marcos Viana, de 51 anos, trabalha em uma empresa neste mesmo bairro e almoça fora de casa todos os dias. Para ele, a reabertura dos restaurantes, dentro de um ambiente seguro, é benéfica. “Todo esse tempo tendo que pedir delivery é muito ruim, não é a mesma qualidade de comer uma comida quentinha, preparada na hora em um ambiente seguro, que segue todos os padrões de segurança alimentar”, confessa.

A Associação Brasileira de Bares e Restaurantes, que faz parte do Comitê Estratégico de Retomada, tem contribuído com sugestões para que esta fase ocorra com a maior segurança possível aos clientes e colaboradores do setor. Para isso, lançou o Selo Estabelecimento Responsável, que será utilizado pelos associados que estarão cumprindo medidas rígidas, seguindo recomendações da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Organização Mundial da Saúde (OMS) e as medidas já em vigor do decreto de isolamento social no Ceará.

“Recomendamos a todos os empresários que cumpram fortemente todo o protocolo elaborado com muita responsabilidade pelo governo do estado, em parceria com a Abrasel. Essa fase deve ser encarada com seriedade e cautela, para darmos assistência aos trabalhadores que estão voltando às suas atividades”, diz Taiene Righetto, diretor executivo da entidade.

Os shoppings de Fortaleza também abriram as praças de alimentação nesta segunda-feira. Em um shopping no bairro Edson Queiroz, mesas foram retiradas, respeitando o distanciamento social. O superintendente Wellington Oliveira explica que outras medidas já foram adotadas para a reabertura ainda na fase 1. “Diante de todas as medidas de seguranças que já tomamos dentro do shopping, com disponibilização de álcool em gel, orientamos nossos lojistas para que procedam da mesma forma", avalia.

Superintendente regional de uma rede de shoppings em Fortaleza e na Região Metropolitana, Carlos Julio reforça que todos os empreendimentos da rede estão seguindo rigorosamente as orientações dos órgãos públicos com relação à reabertura das Praças de Alimentação, de acordo com as determinações da fase 2 de flexibilização do isolamento social propostas pelo governo. “A preparação e a retomada das nossas atividades foram alinhadas às indicações da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel). A reabertura teve início hoje, às 12h, no horário de abertura de todos os shoppings”, explica.

Entre as principais medidas estão a restrição da capacidade a 50% de acordo com o alvará de funcionamento pelo Corpo de Bombeiros, distanciamento de dois metros entre as mesas e adequação da quantidade de cadeiras disponíveis para uso; reforço na higienização de utensílios, além da disponibilização de talheres de uso individual e devidamente lacrados. Os cardápios das operações, quando possível, ainda devem ser substituídos por meios digitais ou higienizados com preparados alcoólicos.

Igrejas decidem não reabrir

Apesar da permissão de funcionar com 20% da capacidade dos fiéis dentro dos templos, as igrejas católicas de Fortaleza continuam fechadas para celebrações presenciais. O Arcebispo Metropolitano de Fortaleza, Dom José Aparecido Tosi Marques, em carta aberta enviada às paróquias do estado, comunicou que ainda não é o momento para esse retorno.

“As condições de isolamento social rígido, necessário para enfrentar a pandemia, nos impede ainda de atrair os fiéis a saírem de casa para participar do culto nas igrejas. Ninguém controlaria que todos obedecessem às condições que se fazem necessária para evitar o contágio. Assim ainda não abriremos nossos templos (igrejas, capelas e dependências de atendimento público – secretarias, salões paroquiais e centros pastorais), até nova determinação, quando as condições de segurança realmente permitirem”, disse o arcebispo em um dos trechos da carta.

Região Metropolitana

Enquanto Fortaleza entra na fase 2 da retomada econômica, municípios da Região Metropolitana que estavam em fase de transição e onde também há redução dos números indicadores do coronavírus, deram início à primeira etapa do plano, incluindo abertura do comércio de rua e lojas de shopping.

Demais cidades continuam na fase de transição, com exceção de Sobral, na região Norte, que continua com isolamento social rígido, e Juazeiro do Norte, no Cariri, que, pelo avanço dos números, também entra em isolamento rígido por sete dias.

“Alerto que, mesmo onde houve melhora do cenário, a pandemia continua. Os riscos continuam. É preciso evitar aglomerações e só sair de casa quando necessário. E sempre usando máscara. O governo do Estado continua trabalhando fortemente para ampliar a rede pública de atendimento, principalmente no interior. Fundamental que todos colaborem para, juntos, superarmos essa crise”, destaca o governador do Ceará, Camilo Santana.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.