Divulgação
Divulgação

Em live, ‘Estado’ fala das consequências da pandemia para os alunos mais pobres

Foco da entrevista, que vai ao ar às 16h30min, são os estudantes que se preparam para o vestibular

Redação, O Estado de S.Paulo

08 de maio de 2020 | 11h05

Como os alunos mais pobres estão se preparando para o vestibular? Nesta sexta-feira, 8, o "Estado" entrevista Fernanda Azevedo, coordenadora pedagógica do Unifavela, cursinho popular que atua na comunidade da Maré, no Rio de Janeiro. Ela vai dar dicas de estudo e falar das dificuldades dos alunos periféricos durante essa pandemia. A live ocorre na página do Facebook do jornal, às 16h30min.

Todos os alunos da turma de 2018 do cursinho conseguiram ingressar em faculdades públicas. Neste ano, durante o isolamento causado pelo novo coronavírus, perceberam a baixa adesão dos alunos, mesmo enviando material para que eles estudassem em casa. Descobriram que, com a pandemia, começou a faltar comida na casa dos estudantes e eles não conseguiam se concentrar nos estudos.

Os leitores podem participar ao vivo nos comentários e também com o envio prévio das perguntas, que deve ser feito por meio do grupo #EstadãoInforma: Coronavírus, espaço no Facebook para discussão e troca de informações sobre a pandemia, aberto a todos os leitores do Estadão. 

Essa é a oitava semana de transmissões do jornal. Nesta semana, foram temas de transmissão o funcionamento das UTIs, o excesso de uso de telas, cuidados com os pets e a queda na renda das famílias causada pela pandemia.

O jornal disponibilizou seus principais conteúdos sobre a epidemia gratuitamente aos leitores que não são assinantes. Foi criado também o Boletim Coronavírus, newsletter aberta a todos com as principais notícias do dia sobre o tema.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.