Em MT, recém-nascido pode ter pulseira de segurança

Tramita na Câmara Municipal de Cuiabá, em Mato Grosso, um projeto de lei que obriga os hospitais e maternidades públicas e privadas a disponibilizarem pulseiras com sensor eletrônico sonoro após o parto. O aparelho, para identificação e segurança do recém-nascido, deverá ser retirado somente com a alta da mãe, na presença dela ou de outro responsável pelo bebê.

PRISCILA TRINDADE, Agência Estado

20 Maio 2011 | 14h07

A proposta, de autoria do vereador Roosivelt Coelho (PSDB), tem como objetivo adotar a identificação rigorosa e o controle de fluxo das pessoas que entram e saem das maternidades. Para funcionamento do aparelho, pode haver necessidade de instalar em todas as saídas da unidade sistemas que acionem o dispositivo sonoro da pulseira.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.