Daniel Teixeira/Estadão
Daniel Teixeira/Estadão

Em Vitória, velórios devem durar no máximo duas horas por causa do coronavírus

Espírito Santo registrou 952 casos de covid-19 e 28 óbitos até esta sexta-feira

Vinicius Rangel, especial para O Estado

17 de abril de 2020 | 22h04

A preocupação com o surgimento de novos casos da covid-19 no Espírito Santo tem obrigado alguns municípios a adotar novas estratégias de combate. Na capital Vitória, por exemplo, a Prefeitura determinou que a duração dos velórios seja de, no máximo, duas horas. Nesta sexta-feira, 17, o Estado registrou 952 casos de infecções pelo novo coronavírus e 28 óbitos.

Na capital são 209 casos confirmados da doença. Para garantir a segurança dos profissionais que trabalham em funerárias e cemitérios de Vitória, além das famílias que precisam utilizar esses serviços, a Secretaria Municipal de Saúde publicou uma normativa com medidas para serem seguidas pelos prestadores de serviços funerários e também durante as cerimônias fúnebres.

Os funerais, por exemplo, devem ocorrer com o menor número possível de pessoas, de forma que seja garantida a distância mínima de dois metros entre elas e não haja aglomeração. Para isso, admite-se o revezamento em salas de velório, cuja duração precisa ser de até 2 horas, com o caixão lacrado e fechado durante a cerimônia.

O sepultamento deve ocorrer, sempre que possível, na data do óbito. Não são indicados apertos de mãos, abraços ou qualquer contato físico entre os participantes do funeral. Recomenda-se que pessoas com sintomas de gripe, crianças, idosos, grávidas, pessoas com imunossupressão ou com doença crônica não participem da cerimônia.

"São medidas preventivas à disseminação do novo coronavírus no ambiente de trabalho desses prestadores de serviços funerários e ainda entre os familiares durante o sepultamento", explicou a gerente da vigilância sanitária da capital, Flávia Riegert.

Os cemitérios de Vitória também recebem higienização das portas, maçanetas, paredes, tetos, capelas e caminhos. Além disso, foram colocados frascos de álcool em gel nas entradas das capelas mortuárias e sabonetes nos banheiros.

Os municípios de Vila Velha e Serra, que ficam na região metropolitana, lideram o ranking com maior número de casos confirmados. Juntos, eles somam 501 infectados. Em Vila Velha, uma das últimas medidas da prefeitura para evitar aglomerações e transmissão do vírus foi suspender a internet Wi-Fi de pontos turísticos e praças da cidade.

"Suspendemos o acesso temporariamente para evitar a presença das pessoas nestes locais e para incentivar o isolamento social", afirmou o secretário municipal de Administração e Finanças, Rafael Gumiero. O serviço será retomado assim que possível e seguindo as orientações dos órgãos sanitários e de saúde.

Já em Serra, a administração municipal cortou gastos com combustíveis, telefones, energia e usou o dinheiro para investir no combate ao novo coronavírus. Foi determinada a redução de até 50% nos contratos.

Restrição em supermercados e padarias

A partir desta sexta, 17, o governador capixaba, Renato Casagrande, publicou no Diário Oficial do Estado um novo decreto que orienta os empresários a diminuir a quantidade de pessoas em supermercados e padarias. A limitação imposta determina que tenha apenas uma pessoa a cada dez metros quadrados. O objetivo é forçar e restringir a aglomeração de clientes nesses locais.

A determinação destaca ainda que, se houver alguma fila nesses locais, é obrigatório o afastamento de 1,5 metro. As empresas devem demarcar as áreas e fazer a desinfecção dos carrinhos e cestas, após a utilização dos clientes. Todos os colaboradores devem usar máscaras para a proteção.

Drones com alto-falantes

Ainda na tentativa de evitar aglomerações de pessoas nas ruas e praias do Espírito Santo, a Polícia Militar estuda a implantação de drones com alto-falantes. Os nove equipamentos já estão sendo testados. Eles foram comprados para ajudar no combate à criminalidade e devem ser utilizados durante a pandemia.

Em coletiva de imprensa transmitida pela internet, Casagrande explicou que o Estado tem realizado 400 testes por dia da covid-19. "O nosso laboratório é o que mais faz testes no Brasil. O Estado hoje é o maior no número de testagem do País", disse. O governador ainda garantiu que serão feitos ainda testes rápidos com gotículas de sangue, o que pode adiantar novos resultados da doença.

Leitos de UTI

Atualmente, o Espírito Santo possui 160 leitos de UTI para atender pacientes infectados com o novo coronavírus; 26 deles já estão ocupados com pessoas que testaram positivo para a doença. Outros 84 ocupam vaga porque apresentaram síndrome respiratória aguda grave e aguardam resultados de confirmação ou não da doença.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.