Emagrecer ajuda a reduzir risco de câncer, diz estudo

Mudanças no estilo de vida poderiam evitar até um terço dos casos da doença.

BBC Brasil, BBC

31 de outubro de 2007 | 14h30

Emagrecer ajuda a reduzir o risco de câncer, mesmo que a pessoa não esteja acima do peso, indica um novo estudo internacional publicado nesta quarta-feira pela World Cancer Research Fund, uma organização de pesquisa sobre a doença.Este é o maior estudo sobre a relação entre câncer e estilo de vida já realizado. Os pesquisadores analisaram dados de sete mil estudos anteriores e publicaram uma série de recomendações para diminuir os riscos. A conclusão foi que até um terço dos casos de câncer poderiam ser evitados se as pessoas mudassem seus estilos de vida.Entre as recomendações estão não engordar na vida adulta, evitar bebidas açucaradas (como refrigerantes, por exemplo) e não comer carne processada, entre elas presunto, bacon e salame.As pessoas com índice de massa corporal (IMC) entre 18,5 e 25 são consideradas saudáveis, mas o estudo afirma que o risco de desenvolver a doença aumenta à medida que o ICM se aproxima de 25. O documento recomenda que todos tentem ficar o mais próximo de 18,5 possível.O câncer do intestino e de mama são algumas das formas mais comuns da doença, e o relatório afirma que há evidências "convincentes" de que a gordura corporal tem papel-chave no desenvolvimento desses tumores.Além de aconselhar a parar de comer carnes processadas, os pesquisadores dizem que as pessoas deveriam limitar o consumo de carne vermelha a 500g por semana.O estudo também recomenda evitar bebidas alcoólicas, mas os pesquisadores aceitam que, se forem consumidas em pequenas quantidades, elas podem ajudar a evitar outras doenças.Refrigerantes e outras bebidas açucaradas devem ser evitadas porque engordam, e o consumo de suco de frutas também deve ser reduzido.O documento ainda recomenda a amamentação como forma de proteção contra o câncer, argumentando que ela pode reduzir os riscos de câncer de mama na mãe e ajuda a evitar a obesidade na criança - embora isso ainda não tenha sido provado.Os pesquisadores afirmam que a gordura corporal é um fator chave no desenvolvimento de câncer, estimando que sua importância é muito mais alta do que se pensava.Os autores do relatório produziram uma lista de recomendações, mas não "mandamentos"."Se as pessoas estiverem interessadas em reduzir o risco de desenvolver câncer, seguir essas recomendações é a melhor forma", disse um dos autores, o professor Martin Wiseman."O câncer não é destino, é uma questão de risco, e você pode ajustar esses riscos no modo como você se comporta. É muito importante que as pessoas se sintam em controle sobre o que estão fazendo."Acredita-se que dois terços dos casos de câncer não estão relacionados a estilo de vida, e há muito pouco que as pessoas podem fazer para evitar a doença nessas circunstâncias.No entanto, mais de três milhões dos dez milhões de casos de câncer registrados no mundo anualmente poderiam ser evitados se as recomendações fossem seguidas, disse Wiseman.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.