Divulgação/Embraer
Divulgação/Embraer

AO VIVO

Acompanhe notícias do coronavírus em tempo real

Embraer equipará hospitais com sistema que reduz contaminação por coronavírus

Dotado de lâmpadas germicidas de ultravioleta, filtro expele o ar já sem contaminantes para um ambiente externo.

José Maria Tomazela, O Estado de S.Paulo

30 de junho de 2020 | 16h27

Hospitais públicos que atendem pacientes da covid-19 nas cidades de Araraquara, Botucatu e São José dos Campos, no interior de São Paulo, serão equipados com um sistema inovador de prevenção contra a propagação do coronavírus em ambiente hospitalar. Os 50 equipamentos de controle biológico, desenvolvidos pela Enebras, de São Paulo, em parceria com a Sociedade Beneficente Israelita Brasileira Albert Einstein, serão doados pela Embraer. A instalação dos sistemas terá início na próxima semana. O investimento é de mais de R$ 500 mil.

Conforme a Embraer, a solução desenvolvida pela empresa paulistana reduz a possibilidade de contágio dos profissionais de saúde que mantêm contato com os pacientes em ambientes de enfermaria, bem como de outras pessoas em circulação pelo local. A Enebras é uma empresa especializada em soluções de ar condicionado para a área de saúde e desenvolveu o sistema conhecido como Atmus em parceria com o hospital Albert Einstein, que já utiliza o equipamento em suas instalações.

A Embraer participa da cooperação com base em sua experiência no desenvolvimento de produtos de pressurização de aeronaves, sendo responsável pelo detalhamento técnico e estratégia de industrialização para rápido aumento na produção dos aparelhos. A tecnologia evita a propagação do coronavírus entre os leitos de um hospital por meio de pressurização negativa. A pressão do ar do quarto é controlada abaixo dos demais ambientes do hospital, enquanto um exaustor direciona o ar contaminado através de um filtro de alta eficiência.

Dotado de lâmpadas germicidas de ultravioleta, o filtro expele o ar já sem contaminantes para um ambiente externo. A maior pressão dos demais ambientes impede a saída de ar da área isolada, prevenindo assim a contaminação de outros lugares. O Atmus é portátil, o que facilita a mobilidade no ambiente hospitalar e requer baixo investimento na instalação. Conforme a demanda de cada município, serão instaladas dez unidades no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Botucatu (Unesp), 15 na Santa Casa de Misericórdia de Araraquara e 25 no Hospital Municipal de São José dos Campos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.