Divulgação
Divulgação

Empresa diz que foi mal interpretada e volta atrás sobre doação de respiradores em SC

Grupo Almeida Júnior informa que donativo não está relacionado com reabertura dos shoppings que administra

Fábio Bispo, Especial para o Estado

06 de abril de 2020 | 21h44

O grupo Almeida Júnior, que administra seis shoppings em Santa Catarina, informou que sua oferta de doação de respiradores ao governo de Santa Catarina foi mal interpretada. Em e-mail encaminhado ao governador Carlos Moisés (PSL), o CEO do grupo, Jaimes Almeida Júnior, havia informado que a entrega de 12 respiradores - dois por cada shopping - seria efetivada em até um mês após a reabertura das lojas, que estão fechadas por conta de decreto estadual desde 17 de março.

Por meio da assessoria de imprensa, o grupo se retratou sobre o prazo e as condições de entrega dos respiradores, que não devem mais ocorrer em até um mês por indisponibilidade no mercado.

Ao Estado, o CEO da empresa havia dito inicialmente que "as propostas que a Almeida Junior fez ao Governo de Santa Catarina para a reabertura dos seus shoppings irão trazer muita segurança aos consumidores".

Após a publicação do texto, ele voltou atrás e disse ter sido mal interpretado. "A Almeida Junior esclarece que jamais condicionou a doação de respiradores à reabertura dos shoppings no estado de Santa Catarina. A redação da carta pode gerar um mal entendido, por afirmar que os respiradores seriam doados no primeiro mês após a reabertura do comércio", afirmou a empresa.

O governador Carlos Moisés (PSL) não quis comentar o assunto. Por meio de assessoria de imprensa, a Casa Civil informou que o Estado já manifestou interesse nos 12 respiradores, mas frisa que a reabertura do comércio em geral, ainda está em discussão pelo governo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.