Empresa norte-americana cancela estudos com células-tronco

Pioneira em realizar testes, Geron vai se dedicar a pesquisas mais rentáveis

Das agências de notícias,

16 de novembro de 2011 | 16h28

 Washington - A companhia norte-americana Geron, pioneira em estudos com células-tronco, está encerrando esse campo de pesquisa

Na última segunda-feira, 14, os executivos afirmaram que os altos custos e as incertezas comerciais da pesquisa forçaram o cancelamento dos estudos. A empresa agora centralizará as pesquisas em terapias contra o câncer.

No ano passado, a Geron lançou o primeiro estudo nos Estados Unidos sobre tratamento com células-tronco em humanos: uma injeção de dois milhões de células destinada a reparar lesões na medula espinhal. Foi o primeiro estudo do gênero aprovado nos Estados Unidos.

Cientistas esperam que essas células, capazes de se transformar em outras, possam um dia substituir tecidos lesionados em doenças como o Alzheimer, além de tratar enfartes e derrames.

Especialistas dizem que a medida é mais um revés simbólico do que real devido ao enorme trabalho que continuará sendo realizado em instituições acadêmicas.

A Geron afirma que ainda acredita no potencial dessas células e que a companhia procura um parceiro ou comprador para sua divisão.

Especialistas dizem que as empresas que pesquisam células-tronco vivem grandes desafios no atual cenário econômico, em que investidores querem ver terapias experimentais transformadas rapidamente em produtos no mercado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.