Science/Divulgação
Science/Divulgação

Encontradas penas do Período Cretáceo preservadas em âmbar

Os dinossauros e os antigos pássaros donos dessas estruturas epidérmicas viveram de 70 a 85 milhões de anos atrás

Estadão.com.br,

15 de setembro de 2011 | 16h41

Um verdadeiro tesouro científico foi descoberto em um sítio arqueológico canadense: proto-penas de dinossauros do Período Cretáceo e penas de pássaros um pouco mais modernos, todas preservadas em âmbar.

O achado proporciona aos pesquisadores uma oportunidade única de examinar a estrutura, as funções e até mesmo as cores das penas que adornavam os dinossauros e pássaros que viveram de 70 a 85 milhões de anos atrás.

Confira abaixo algumas imagens e informações sobre as penas e proto-penas que foram encontradas.

 

As proto-penas são consideradas as precursoras das penas que conhecemos atualmente. As que foram encontradas no Canadá representam quatro fases distintas da evolução da pena, inclusive o estágio inicial.

Estudiosos responsáveis pelo achado acreditam ser possível descobrir mais informações estruturais sobre as penas, como os filamentos e os formatos dos ramos laterais dessas estruturas epidérmicas.

 

As células que permanecem com pigmento preservado sugerem que as criaturas donas das proto-penas e das penas podem ter tido variações nas cores, como os pássaros modernos.

 

Ainda não há como determinar quais penas pertenceram aos pássaros e quais faziam parte da plumagem dos dinossauros, mas os pesquisadores já acharam semelhanças também vistas em outros fósseis.

 

Para os arqueólogos, a descoberta pode indicar que a adaptação moderna de penas já havia aparecido antes mesmo que a espécie de dinossauros que não podia voar fosse extinta. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.