Enfermeiro britânico que sobreviveu ao Ebola quer voltar à África

Homem trabalhava em Serra Leoa como voluntário quando contraiu a doença em agosto; ele foi tratado com um remédio experimental

AFP

15 Outubro 2014 | 18h41

Um enfermeiro britânico que sobreviveu ao Ebola quer voltar a Serra Leoa, na África, onde contraiu o vírus, para trabalhar como voluntário.

"Sei que minha mãe e meu pai estão preocupados, mas me apoiam porque sabem que isso é algo que tenho que fazer" explicou William Pooley, de 29 anos, em uma conferência de trabalhadores do setor sanitário que pensam en ser voluntários para lutar contra a epidemia.

"Não parece provável que eu vá contrair de novo... Foi uma decisão fácil na época e o mesmo acontece agora", assegurou.

Pooley foi levado de Serra Leoa, onde era voluntário, em um avião militar em agosto, depois de que se tornou o primeiro britânico afetado pela febre hemorrágica, que matou 70% dos infectados.

Ele se recuperou totalmente em uma unidade de isolamento em Londres com um remédio experimental conhecido como Zmapp.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) advertiu que a epidemia, descrita como a mais severa crise sanitária dos tempos modernos, poderia infectar cerca de 10 mil pessoas por semana.

Mais conteúdo sobre:
Ebola Serra Leoa

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.