Nilton Fukuda/Estadão
Nilton Fukuda/Estadão

Entenda como será a reabertura das atividades na cidade de São Paulo

Município vai começar a receber as propostas de protocolos de cada um dos setores a partir da semana que vem

Paula Felix, O Estado de S.Paulo

29 de maio de 2020 | 15h56

SÃO PAULO - Pouco mais de dois meses após ter decretado a quarentena no Estado de São Paulo, o governador João Doria (PSDB) anunciou na última quarta-feira, 27, um plano de flexibilização que vai permitir que alguns municípios, incluindo a capital, reabram parcialmente shoppings, lojas, concessionárias e imobiliárias a partir da próxima segunda-feira, 1º.  O uso de máscaras continuará sendo obrigatório.

No caso da capital, a Prefeitura ainda não anunciou uma data para a retomada das atividades nos estabelecimentos comerciais e o prefeito Bruno Covas (PSDB) disse que o município vai começar a receber as propostas de protocolos de cada um dos setores a partir da semana que vem. Apenas depois de análises das áreas de Desenvolvimento Econômico e Saúde é que a reabertura será autorizada ou negada.

Segundo a gestão municipal, as empresas terão de adotar requisitos como medidas de higiene e testagem, controle de circulação de pessoas, capacidade de autorregulação e fiscalização, além de proteção a funcionários e consumidores.

Plano de reabertura

Segundo o plano de retomada gradual das atividades econômicas, o Estado foi dividido em 18 regiões e elas foram enquadradas em fases de retomada que vão de 1 (vermelha - alerta máximo) a 5 (azul - normal controlado). Nenhuma está na fase 5.

Para encaixar as cidades nas etapas, o Estado informou que se baseou em critérios como crescimento do número de casos, leitos de UTI disponíveis e índices de distanciamento social. São Paulo está na fase 2 (laranja - controle), que permite a reabertura, mas com restrições, de shopping centers, lojas de rua, atividades imobiliárias, concessionárias e escritórios. Na próxima quinta-feira, 4, Covas deve apresentar o andamento do processo de retomada.

O governo de São Paulo apresentou uma série de protocolos que devem ser adotados para a reabertura. As prefeituras ficarão responsáveis por editar um decreto detalhando quais atividades poderão ser retomadas e com quais exigências, respeitando os protocolos estaduais. Também cabe à gestão municipal fiscalizar o cumprimento das restrições impostas. Leia mais sobre os protocolos aqui.

Os municípios serão reavaliados e podem não só avançar para fases mais flexíveis como voltar para etapas mais restritas após essas análises.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.