NOEL CELIS / AFP
NOEL CELIS / AFP

Epidemia de coronavírus exigirá US$ 675 milhões em ações de saúde nos próximos três meses

O número não inclui efeitos dos vírus sobre a atividade econômica e as consequências sociais da doença. OMS pede melhoria no compartilhamento de dados

Reuters, O Estado de S.Paulo

04 de fevereiro de 2020 | 19h05

GENEBRA - O custo estimado das ações de saúde pública para combater o coronavírus no mundo nos próximos três meses é de US$ 675 milhões, o equivalente a R$ 2,8 bilhões. O valor foi divulgado nesta terça-feira, 4, pela diretoria de planejamento estratégico da Organização Mundial da Saúde (OMS), de acordo com o informado pela agência Reuters. O número não inclui efeitos dos vírus sobre a atividade econômica e as consequências sociais da doença. 

Nesta terça, o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, reforçou a necessidade de que ministros da Saúde dos países melhorem o compartilhamento de dados sobre o coronavírus imediatamente. A organização enviará uma equipe de especialistas internacionais para trabalhar com parceiros chineses na avaliação da epidemia. 

O órgão da ONU está enviando máscaras, luvas, respiradores e cerca de 18 mil vestimentas de isolamento para mais de 20 países que precisam de suporte. Ao todo, 22 países reportaram medidas de restrição de viagem ou comércio ligadas ao coronavírus, disse Ghebreyesus, que destacou a necessidade de as ações serem curtas em duração e proporcionais aos riscos à saúde pública. “Tais restrições podem ter o efeito de aumentar o medo e o estigma com pouco benefício à saúde pública”, ele disse. 

Para Entender

Coronavírus: veja o que já se sabe sobre a doença

Doença está deixando vítimas na Ásia e já foi diagnosticada em outros continentes; Organização Mundial da Saúde está em alerta para evitar epidemia

Chen Xu, embaixador chinês junto à ONU, em Genebra, disse que algumas restrições foram contra as orientações do órgão. Ele citou as proibições de entrada de estrangeiros que visitaram a China, a suspensão dos vistos e cancelamento de voos. “Não se envolvam em exageros”, disse Xu. “Vocês devem seguir as sugestões da OMS e evitar restrições a viagens ou comércio, se afastando de ações discriminatórias.”

Até agora, 20.471 casos de coronavírus foram confirmados na China, com 176 casos em 24 países, de acordo com os números mais recentes da OMS. “Esta é sobretudo uma emergência chinesa”, disse Ghebreyesus, destacando que 99% dos casos e 97% das mortes aconteceram na província de Hubei, onde está o epicentro, Wuhan

Hong Kong reportou a primeira morte por coronavírus nesta terça, a segunda fora da área de concentração do vírus. A epidemia avança rapidamente, com um total de 427 mortes e uma ameaça à economia global. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.