Epidemia de gripe H1N1 dá indício de queda, diz ministério

Muitos hospitais paulistanos registraram uma diminuição na procura por atendimento de pacientes de gripe

AE, Agencia Estado

19 de agosto de 2009 | 09h49

Alunos voltam às aulas com 'beijos e abraços' e tranquilidadeDesde a semana passada, os serviços de saúde para pessoas com sintomas gripais vêm registrando um número menor de atendimentos do que na segunda quinzena de julho. Em nota divulgada ontem, o Ministério da Saúde aponta a "diminuição no número absoluto de casos graves pelo novo vírus" na semana entre 9 e 15 de agosto. O texto ressalva que a "observação pode não refletir a realidade", pois nem todos os municípios e Estados atualizaram a base de dados do ministério. Mesmo assim, a tendência é considerada "um indicativo preliminar" de que a Influenza A (H1N1), a chamada gripe suína, "pode estar recuando?"

Muitos hospitais paulistanos registraram uma diminuição na procura por atendimento de pacientes com sintomas de gripe. O Hospital Israelita Albert Einstein atendia, no início do mês, cerca de cem pacientes por dia com síndrome gripal. Na última semana, a média caiu para 60. No Hospital Sírio-Libanês, a queda estimada foi de 30%. No Rio Grande do Sul, técnicos da secretaria estadual afirmam que houve uma redução de 26,7% nas notificações de casos suspeitos na primeira semana de agosto em relação à última de julho.

O movimento nos centros estaduais de referência para atendimento da gripe no Rio de Janeiro caiu 30% em relação às duas primeiras semanas de julho. No entanto, a Secretaria Estadual de Saúde alerta que ainda não é possível avaliar se a epidemia está regredindo. Segundo técnicos, a queda na procura por atendimento pode estar relacionada à elevação da temperatura na última semana.

De acordo com David Uip, diretor do Instituto de Infectologia Emílio Ribas, em São Paulo, a fase aguda da epidemia ocorre depois de três a quatro semanas após o registro dos primeiros casos. ?O plano de contenção do Ministério da Saúde adiou a fase aguda para 80 dias depois dessas notificações iniciais.? Segundo ele, isso contribuiu para que o índice de letalidade da nova gripe seja menor no Brasil do que em outros países. ?Estamos mais próximos do fim do inverno e da chegada da vacina?, explica, acrescentando que a pandemia deve ter duração de três a quatro meses. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Tudo o que sabemos sobre:
gripe suínaBrasilqueda

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.