Equipe de cientistas descobre novas moléculas para tratar câncer

Foram identificadas moléculas que bloqueiam a via de sinalização de Hedgehog, uma cadeia de reações bioquímicas que pode ocasionar vários tipos da doença, como os tumores cerebrais

Efe,

29 de fevereiro de 2012 | 08h18

Uma equipe franco-italiana de cientistas descobriu uma nova família de moléculas que supostamente pode intervir no tratamento de vários tipos de câncer, especialmente o de pele e os tumores cerebrais, informou nesta última segunda-feira, 29, o Centro Nacional francês de Pesquisas Científicas (CNRS).

Os especialistas identificaram, a partir de provas realizadas no laboratório, moléculas que bloqueiam a via de sinalização de Hedgehog, uma cadeia de complexas reações bioquímicas que está por trás de diferentes tipos de câncer.

Estas disfunções estão particularmente causadas por mutações na Smoothened, um receptor membranoso que permite a ativação do Hedgehog.

Até o momento, segundo a nota do CNRS, vários laboratórios farmacêuticos desenvolveram moléculas que são capazes de bloquear estas disfunções, mas as novas mutações em células tumorais no Smoothened são resistentes a estas moléculas.

A equipe de cientistas analisou bancos com um total de 500 mil moléculas informatizadas e, após modificar a estrutura de uma delas, encontrou uma nova família de compostos chamados MRT.

Depois de examiná-los, especialmente os MRT 83, os cientistas descobriram que os compostos conseguiam bloquear a proliferação de células suspeitas de originar tumores cerebrais, inclusive com uma capacidade maior do que as moléculas conhecidas até então.

Os resultados dessa pesquisa, desenvolvida pelo CNRS e a pela Universidade de Siena (Itália), serão publicados na revista de medicina "Chemistry".

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.