Especialistas buscam crânio de Monalisa para recriar rosto enigmático

Durante três dias um radar explorará 900 metros quadrados no antigo convento de Santa Úrsula

Efe

27 Abril 2011 | 10h29

ROMA - Uma expedição em Florença começa na quarta-feira em busca do crânio da Monalisa com o objetivo de reconstruir o enigmático rosto que foi pintado por Leonardo da Vinci, e desvendar o mistério por trás do sorriso de Lisa Gherardini, esposa de Francesco del Giocondo.

Durante três dias um radar explorará 900 metros quadrados no antigo convento de Santa Úrsula e em particular, dois claustros e uma igreja onde acreditam que encontrarão sepulturas do século XVI, entre elas a de Lisa Gherardini, cujo retrato está exposto no Museu do Louvre em Paris.

Em 9 de maio começarão as escavações, que durarão duas semanas, informaram fontes dos pesquisadores.

Os restos recuperados serão enviados ao departamento de conservação de bens culturais da Universidade de Bolonha, onde se realizarão as análises de carbono 14, uma análise histológico para conhecer a idade dos restos, exame de metais para verificar a presença de alguma doença, e de DNA.

Uma vez estabelecido que se trata de Lisa Gherardini será possível reconstruir seu rosto e compará-la com a que Leonardo pintou, disseram.

Um documento encontrado em 2007 por um estudioso, Giuseppe Pallanti, no arquivo da Basílica de San Lorenzo, ao lado do convento, indicam que os restos de Lisa Gherardini poderiam estar enterrados em Santa Úrsula.

O certificado no registro paroquial declara que: "Foi mulher de Francesco del Giocondo, morta em 15 de julho de 1542 e sepultada em Santa Úrsula".

O grupo de pesquisadores é formado por geólogos, antropólogos e historiadores da arte, que pretendem assim desvendar um dos maiores mistérios artísticos dos últimos séculos.

Mais conteúdo sobre:
arqueologia arte Monalisa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.