Roberta Jansen/Estadão
Roberta Jansen/Estadão

Especialistas fazem ato para denunciar violência contra a mulher

OMS estima que 35% das mulheres ao redor do mundo já foram vítimas de casos de violência física ou sexual

Roberta Jansen, O Estado de S.Paulo

16 Outubro 2018 | 19h20

RIO - Especialistas brasileiros e estrangeiros reunidos no 22º Congresso Mundial de Ginecologia e Obstetrícia fizeram na tarde desta terça-feira, 16, no Riocentro, na zona oeste da capital fluminense, uma manifestação para denunciar a violência contra a mulher - considerado um dos mais graves problemas de saúde pública em todo o mundo.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) estima que, no geral, 35% das mulheres ao redor do mundo sofreram casos de violência física e/ou sexual do parceiro íntimo ou violência sexual ao longo de suas vidas. Enquanto há muitas outras formas de violência às quais mulheres podem ser expostas, isso já representa uma proporção enorme das mulheres do mundo. A maior parte dessa violência vem do parceiro íntimo.

Ao redor do mundo, quase um terço (30%) de todas as mulheres que estiveram em um relacionamento sofreram violência física e/ou sexual praticada por seu parceiro íntimo. Em algumas regiões, 38% das mulheres sofreram violência praticada pelo parceiro íntimo. Mundialmente, 38% de todos os assassinatos de mulheres são cometidos por parceiros íntimos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.