Tiago Queiroz/Estadão
Tiago Queiroz/Estadão

Estado de São Paulo vai contratar 1,5 mil leitos privados de UTI

Edital publicado nesta quarta-feira, 20, também solicita três mil leitos clínicos para tratar pacientes da covid-19

Márcia De Chiara, O Estado de S.Paulo

20 de maio de 2020 | 11h13

SÃO PAULO - Com o avanço da ocupação de leitos no Estado de São Paulo por conta da pandemia do novo coronavírus, o governo quer contratar serviços de hospitais privados. Foi publicado nesta quarta-feira, 20, um edital de chamamento público que solicita 1,5 mil leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e três mil leitos clínicos destinados ao tratamento da doença. De acordo com o texto da convocação, se a doença continuar avançando no ritmo atual, em três semanas ocorrerá o colapso no sistema de saúde.

"Com essa medida, São Paulo praticamente dobra o número de leitos disponíveis para a covid-19", afirmou João Doria em coletiva de imprensa realizada no início da tarde desta quarta.

José Henrique Germann, secretário estadual de Saúde, explicou durante a coletiva que depois da fase de chamamento iniciam as negociações individuais com os hospitais. Ele pontuou que a prioridade de contratação é das instituições filantrópicas, como as Santas Casas. Somente ao final dessas negociações é que o Estado vai poder dizer com precisão o número de leitos que estão disponíveis na rede privada. "Nós já fizemos os primeiros contatos tanto na Grande São Paulo quanto no interior", afirmou.

As contratações dos leitos de UTI e clínicos estão abertas para hospitais particulares localizados na Grande São Paulo e em mais 16 regiões administrativas espalhadas pelo Estado. Incluem desde municípios da Baixada Santista a áreas mais distantes, como São José do Rio Preto e Franca, por exemplo. 

O valor pago pela diária para um leito de UTI é de R$ 1,6 mil e segue a remuneração oferecida pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Essa cifra é inferior à que foi oferecida pela Prefeitura de São Paulo, de R$ 2,1 mil, em recente edital de convocação. O investimento total previsto é de R$ 594 milhões, sendo R$ 432 milhões para os leitos de UTI e R$ 162 milhões para os leitos clínicos

Até a manhã desta quarta, a taxa de ocupação de leitos de UTI no Estado de São Paulo era de 71,1%. Na região metropolitana da capital, 87,9% dos leitos de UTI já estavam ocupados.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.