Governo SP
Governo SP

Estado de SP entra na fase vermelha de restrições contra a covid-19

A medida adotada pelo governo para tentar frear o avanço da doença vale das 20h às 6h em dias de semana e durante os finais de semana

Redação, O Estado de S.Paulo

30 de janeiro de 2021 | 00h18

Está vigente em todo o Estado de São Paulo a fase vermelha de restrições do plano de combate à covid-19. A medida adotada pelo governo para tentar frear o avanço da doença vale das 20h às 6h em dias de semana e durante os finais de semana. Esse será o primeiro final de semana com as medidas mais duras em vigor, já que a decisão da gestão João Doria (PSDB) começou a valer na segunda-feira, 25.

A fase vermelha, de alerta máximo no plano de combate à pandemia, permite apenas a realização de atividades consideradas essenciais. Entre esses serviços estão os hospitais, supermercados, farmácias, postos de combustível e transportes coletivos. Estão proibidos de funcionar bares, shoppings, lojas, parques, academias, equipamentos culturais (cinemas, teatros e outros).

No caso dos serviços como bares e restaurantes, eles podem atender somente pedidos para delivery e drive thru. Lojas, galerias e shoppings devem fechar as portas, independemente de horário ou controle de acesso. Outros setores que precisam recuar são os salões de beleza e academias, que deixam de funcionar no período estabelecido.

A fase vermelha em todo o Estado se estenderá até o fim do domingo, 31. Na segunda, as regiões voltam para as suas fases, cumprindo a fase vermelha à noite e aos fins de semana. Nesta sexta-feira, 29, diante da melhora em alguns índices regionais, o governo do Estado informou que irá retirar as regiões de Presidente Prudente e de Sorocaba da fase vermelha.

Por outro lado, na região de Ribeirão Preto, que estava na fase laranja, os técnicos do governo observaram uma piora nos indicadores de saúde, em especial a taxa de ocupação de leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTIs), que ficou acima de 82%. Por isso, a região voltou para a fase vermelha do Plano, a mais restritiva.

Nas demais regiões do Estado, não houve reclassificações. A expectativa é que o atual modelo de restrições, que impõe o encerramento das atividades comerciais não essenciais das 20h às 6h e aos fins de semana, seja mantido ao menos até o próximo dia 8.

O secretário estadual da Saúde, Jean Gorinchteyn, viu melhora nos índices que indicam a expansão da epidemia nesta semana, a quarta semana epidemiológica do ano, em relação à semana anterior. "Medidas sanitárias ajudam e colaboram para que possamos salvar vidas”, disse.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.