Estado de SP registra primeira epidemia de dengue do ano

A cidade de Araraquara, na região de Ribeirão Preto, já tem um total de 622 casos confirmados este ano

Giovanna Montemurro, do estadao.com.br, e Brás Henrique, da Agência Estado,

10 de abril de 2008 | 16h22

A cidade de Araraquara, na região de Ribeirão Preto, vive a primeira epidemia de dengue do Estado de São Paulo deste ano.  Com cerca de 200 mil habitantes na região de Ribeirão Preto, registra 622 casos (apenas 3 são importados) da doença confirmados. Esse número significa quase o dobro do ano passado, que registrou 355 casos (sendo 307 autóctones e 48 importados).   Veja também: Especial - Acompanhe o avanço da dengue  Casos de dengue no Rio sobem 32% em uma semana Serra diz que enviou brigada contra dengue para interior   A gerente da Vigilância Epidemiológica do município, Fabiana do Carmo Araújo, falava em surto na semana passada, mas nesta quinta-feira, 10, já admitiu a epidemia. "A cidade ultrapassou os 300 casos por 100 mil habitantes", disse Fabiana. Segundo ela, a prefeitura faz bloqueios para eliminar criadouros do mosquito Aedes aegypti e nebulizações nos bairros atingidos, com 100 funcionários próprios (50 contratados recentemente e treinados para isso) e outros 40 da Superintendência do Controle de Endemias (Sucen). "Também estamos trabalhando com associações de bairros, entidades religiosas e vários segmentos da sociedade para conter o avanço da doença", avisou ela.   Em Araraquara existem ainda 183 casos suspeitos, aguardando resultados de exames laboratoriais. Neste ano, os casos superam os de 2007 e os de 2001, quando outros 215 casos foram confirmados. Araraquara registrou em 1995 apenas um caso da doença, subindo para 96 em 1996. Depois, o ano que mais preocupou foi 2006, com 65 casos. Em 2002, um dado atípico: 58 casos, mas 56 importados e apenas dois autóctones. Na região, outra cidade com número expressivo de casos é Ribeirão Preto, com 320 confirmados.   A prefeitura da cidade apelou para sorteios e até telemarketing na tentativa de evitar o avanço da doença. Esta semana, serão entregues quatro televisores de 29 polegadas a moradores sorteados escolhidos aleatoriamente para vistorias. Para receberem o prêmio, os ganhadores e os três vizinhos de cada lado não poderiam ter focos de dengue em suas residências. Em um dos casos, um vizinho impediu que o morador fosse premiado.   Na próxima semana, será ativado um serviço de telemarketing contra a dengue. O objetivo é esclarecer o maior número de pessoas sobre os riscos e evitar o avanço da doença na cidade.   O governo de São Paulo afirma já ter enviado uma brigada especial, composta por cerca de cem técnicos, para colaborar no combate ao mosquito da dengue. Mas a prefeitura da cidade diz que o grupo enviado não passa da metade do declarado pelo Estado.   Segundo informações da Prefeitura de Araraquara, os 40 técnicos da Superintendência de Controle de Endemias (Sucen) que estão na cidade para ações de combate à dengue desde o final do ano passado chegaram a ser retirados pelo governo estadual em fevereiro. Após uma semana, o governo municipal pagou a estadia dos técnicos em hotéis da cidade para que eles retornassem ao serviço.     Multa     Depois de duas epidemias de dengue, em 2006 e 2007, a cidade de Tupã - de 70 mil habitantes, a 530 quilômetros de São Paulo - recorreu à multa para combater a evolução da dengue. No ano passado 300 munícipes foram multados em R$ 87,42 por manterem em suas casas focos do mosquito transmissor. Só nos três primeiros meses deste ano os fiscais já autuaram 401 proprietários de imóveis.   Segundo Marco Antonio de Barros, coordenador de combate a endemias, a situação é preocupante porque, apesar da medida punitiva, ainda continua grande o numero de focos. As autoridades sanitárias estão devem, nos próximos dias, começar a elaborar boletins de ocorrência policial e encaminhar os casos ao Ministério Público, com a denúncia de prática de crime contra a saúde pública.   Apesar de continuar encontrando focos do mosquito, Tupã apresenta melhora no quadro geral. No ano passado foram registrados 800 casos de dengue entre os habitantes e em 2008 ocorreram apenas dois. O valor da multa aplicada aos titulares de imóveis com focos é dobrada em caso de reincidência.   Outros municípios do centro-oeste do Estado também tem multas estabelecidas mas não as aplicam com o rigor de Tupã. Marilia, Garça, Bauru e Jaú têm atuado mais no trabalho de conscientização dos moradores sem recorrer à punição pecuniária, já prevista em leis municipais.     Greve     A situação em Bauru está complicada. Os 120 agentes de controle de endemias estão em greve há 10 dias e acusam a Prefeitura de pagar menos do que o piso salarial estabelecido nacionalmente para a função.   Eles recebem salário de R$ 415 mensais e reivindicam R$ 687, alegando que esse é o piso nacional, mais vale-refeição, vale-transporte e plano de saúde. A Prefeitura alega que a categoria não tem direito ao piso estabelecido pelo Ministério da Saúde, embora seus pagamentos sejam feitos com verbas federais.   Também há uma pendência no Ministério Público do Trabalho, que estuda a proposição de ação contra a prefeitura por não oferecer aos agentes os equipamentos de segurança previstos em lei. Bauru registrou 281 casos de dengue no ano passado e em 2008 tem 79 casos já confirmados.     (Com Jair Aceituno, especial para O Estado de S. Paulo e Gustavo Porto, da Agência Estado)

Tudo o que sabemos sobre:
epidemiadengueAraraquaraSão Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.