Estado do Espírito Santo proíbe lipoaspiração e lipoescultura

Medida foi tomada depois que paciente foi contaminada por bactéria; clínicas terão de trocar equipamento

Clarissa Thomé, da Agência Estado,

06 de agosto de 2008 | 13h51

As cirurgias de lipoaspiração e lipoescultura estão suspensas a partir desta quarta-feira, 6, no Espírito Santo. A medida preventiva foi tomada depois que uma paciente foi contaminada por uma variedade de bactéria. Investigação feita pela Secretaria de Estado de Saúde revelou que o microorganismo estava presente nas cânulas usadas nas cirurgias em duas clínicas - 41 instituições foram vistoriadas desde 15 de julho.   Todas as clínicas e hospitais têm até 30 de agosto para trocar cânulas e borrachas (será necessário apresentar notas fiscais para comprovar a compra) e elaborar relatório sobre o protocolo, passo a passo, de limpeza e esterilização dos equipamentos.   As medidas foram tomadas após uma reunião entre a Secretaria de Saúde, Ministério Público Estadual e da Sociedade Brasileira de Cirurgiões Plásticos - regional Espírito Santo - e do Sindicato de Estabelecimentos e Serviços de Saúde do Estado, na noite de terça.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.