Reprodução/Google Street View
Reprodução/Google Street View

Estado do Rio deve ter 2.219 novos leitos para pacientes com coronavírus a partir de maio

Serão 1.800 leitos em hospitais de campanha e outros 419 em unidades de saúde já existentes

Fábio Grellet, O Estado de S.Paulo

31 de março de 2020 | 19h39

RIO - A partir de 1.º de maio, o Estado do Rio de Janeiro deve dispor de 2.219 novos leitos de hospital para atender os doentes durante a pandemia do novo coronavírus, segundo o governo do Estado. Serão 1.800 leitos em oito hospitais de campanha, sendo 520 de Centro de Tratamento Intensivo (CTI), e outros 419 que em quatro unidades de saúde já existentes. Desses, 344 já estão prontos.

Em hospitais já existentes foram criados 344 leitos, distribuídos entre o Hospital Universitário Pedro Ernesto, em Vila Isabel (zona norte do Rio), com 120 leitos, o Instituto Estadual do Cérebro (IEC), no centro do Rio, com 44 leitos, e o Hospital Regional Zilda Arns, em Volta Redonda (região sul fluminense), com 180 leitos. Mais 75 leitos estão sendo criados no Hospital Anchieta, no Caju (zona portuária do Rio), e devem estar prontos nos próximos dias, segundo o governo estadual.

Os leitos de campanha ficarão distribuídos da seguinte forma: 400 no Complexo do Maracanã (zona norte do Rio), sendo 80 de CTI; 200 na Fiocruz, em Manguinhos (zona norte do Rio), sendo todos de CTI; 200 no Parque dos Atletas, em Jacarepaguá (zona oeste do Rio), sendo 40 de CTI; 200 no terreno do 23.º Batalhão da Polícia Militar, no Leblon (zona sul do Rio), sendo 40 de CTI; 200 ao lado do Hospital Estadual Adão Pereira Nunes, em Duque de Caxias, sendo 40 de CTI; 200 no aeroclube de Nova Iguaçu, sendo 40 de CTI; 100 em Campos dos Goytacazes, no centro da cidade, próximo ao shopping, sendo 20 de CTI; e 100 no Hospital Regional Gélio Alves Faria, em Casimiro de Abreu, sendo 20 de CTI. A previsão é que todos os leitos de campanha fiquem prontos até 30 de abril.

Na manhã desta terça-feira começou a ser construído o hospital de campanha no complexo do Maracanã. Os 400 leitos vão ocupar o espaço onde ficava o estádio de atletismo Célio de Barros. Além desses novos leitos para combater a covid-19, a rede estadual já contava com 3.025 leitos, sendo 729 de UTI. As unidades particulares somam cerca de 11.300 leitos, sendo quase 3.800 de UTI. “Todos os leitos podem ser adequados para tratamento intensivo em casos de emergência”, afirmou o secretário estadual de Saúde, Edmar Santos.

“A Secretaria de Saúde está fazendo todo o esforço possível para minimizar o impacto dessa doença na nossa população. Mais uma vez, quero agradecer pela compreensão e pedir que as pessoas mantenham o isolamento social. Análises preliminares já mostram que estamos conseguindo conter a disseminação desenfreada da covid-19”, afirmou o secretário estadual de Saúde.

Tudo o que sabemos sobre:
Rio de Janeiro [estado]coronavírus

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.