Divulgação
Divulgação

Estado do Rio registra primeiro caso de zika, febre 'prima' da dengue

Paciente é homem de 38 anos, morador do bairro da Penha, na zona norte da capital fluminense, que não precisou ser internado

Clarissa Thomé, O Estado de S. Paulo

02 Junho 2015 | 12h50

RIO - O Estado do Rio de Janeiro registrou o primeiro caso de zika vírus, doença "prima" da dengue, também transmitida pelo mosquito Aedes aegypti. O paciente é um homem de 38 anos, que mora e trabalha na Penha, bairro da zona norte da capital fluminense. Ele não viajou recentemente - o que indica que a contaminação ocorreu no município. 

O paciente sentiu sintomas como febre, dor no corpo e buscou atendimento no Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas, ligado à Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). Como os exames deram negativo para dengue, foi feito o teste para zika. A confirmação saiu no último fim de semana.

A Secretaria Municipal de Saúde informou que fez uma operação de bloqueio na região da Penha, para combater o mosquito. O paciente não precisou ficar internado. 

A zika tem sintomas mais brandos que os da dengue e da chikungunya, doença também transmitida pelo Aedes aegypti - a pessoa apresenta febre, manchas no corpo, dor de cabeça, nas articulações e musculares. O olho pode ficar vermelho, em alguns casos.

O tratamento é feito para aliviar os sintomas, com analgésicos e antitérmicos, além de hidratação. Eles desaparecem depois de cinco dias.  

"A forma mais eficaz de se prevenir contra o vírus zika é combatendo o Aedes aegypti. Todas as ações complementares, como uso do fumacê, uso de larvicidas e as visitas domiciliares pelos agentes de controle de endemias serão mantidas, mas não serão suficientes se cada um não cuidar adequadamente das suas casas", afirmou o superintendente de Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Estado de Saúde, Alexandre Chieppe.

Mais conteúdo sobre:
Zika Dengue Rio de Janeiro

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.