Javier García/EFE
Javier García/EFE

EUA confirmam 3º caso de coronavírus e querem retirar americanos de Wuhan

Paciente infectado é morador de Califórnia e esteve na cidade chinesa epicentro do surto; governo dos EUA organiza voo

Redação, O Estado de S.Paulo

26 de janeiro de 2020 | 02h10
Atualizado 01 de abril de 2020 | 15h05

WASHINGTON - As autoridades de saúde dos Estados Unidos confirmaram neste domingo, 26, o terceiro caso de coronavírus no país. O paciente é um morador da Califórnia que esteve em Wuhan, epicentro do surto do vírus na China. O governo americano organiza um voo para retirar os funcionários diplomáticos e cidadãos dos Estados Unidos que estão na cidade chinesa.

Os Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos (CDC, na sigla em inglês) afirmaram que o paciente infectado foi isolado em um hospital local e que seu estado de saúde não é grave.

"Não há evidências de que tenha ocorrido uma transmissão de pessoa para pessoa em Orange County. O risco atual de transmissão local permanece baixo", afirma a agência de saúde.

Não foram fornecidos detalhes sobre como a pessoa chegou aos Estados Unidos ou sua identidade.

Os outros dois casos nos Estados Unidos são o de uma mulher de mais de 60 anos que reside em Chicago e o de um homem de 30 morador do Estado de Washington. Ambos estiveram em Wuhan.

Retirada de cidadãos americanos de Wuhan

Os Estados Unidos estão organizando um voo para retirar todo seus funcionários diplomáticos e outros cidadãos americanos que não podem sair de Wuhan, que está com restrições de mobilidade por causa de uma política de segurança adotada pelo governo chinês.

Washington espera fazer um voo direto para São Francisco na terça-feira, 28, segundo informação do Departamento de Estado neste domingo. Os Estados Unidos têm um consulado em Wuhan.

"O local é extremamente limitado e, se não for possível transportar todas as pessoas, será dada prioridade a quem tiver mais em risco", afirmou o Departamento de Estado.

Outros países preveem evacuações de Wuhan e sua região. A França anunciou que planeja evacuar seus cidadãos de ônibus, mas ainda não definiu uma data.

A montadora francesa PSA, que tem fábricas em Wuhan, disse que seus trabalhadores estrangeiros serão evacuados para Changsha, uma cidade localizada a mais de 300 quilômetros de Wuhan. /AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.