Estresse no trabalho 'aumenta os riscos de doenças do coração'

Segundo pesquisa feita no Reino Unido, essa relação é maior entre homens e mulheres com menos de 50 anos

Efe,

23 de janeiro de 2008 | 07h05

Uma pesquisa realizada no Reino Unido concluiu que um trabalho estressante tem impacto biológico direto no organismo e aumenta o risco de doenças cardíacas. O estudo, realizado desde 1985 e publicado na revista European Heart Journal, foi feito com mais de 10 mil trabalhadores britânicos. Segundo a pesquisa, pessoas com menos de 50 anos que disseram ter um trabalho estressante tinham cerca de 70% mais chances de desenvolver doenças cardíacas do que aqueles que não sofriam estresse no ambiente de trabalho. O diretor da equipe, o médico Tarani Chandola, do University College London, disse que eles descobriram que o estresse crônico por trabalho estava associado à doença coronária e que essa relação é maior entre homens e mulheres com menos de 50 anos. "Como as pessoas mais idosas estão aposentadas, estão menos expostas ao estresse profissional, e entre estas o efeito das doenças coronárias não foi tão forte", acrescentou. De acordo com o estudo, os funcionários que sofreram pressão no trabalho tinham menos tempo para fazer exercícios físicos e se alimentar bem, além de mostrarem sinais de alterações bioquímicas.  Os pesquisadores levaram em consideração a opinião que os funcionários tinham sobre seus trabalhos, mas também acompanharam de perto a alteração do ritmo cardíaco, a pressão sanguínea e a quantidade do hormônio cortisona liberada no sangue. Também foi considerado a dieta, a freqüência de atividade física, o consumo de tabaco e álcool do grupos pesquisados. Segundo os especialistas, o estilo de vida foi um fator crucial no desenvolvimento das doenças cardíacas.

Tudo o que sabemos sobre:
doença cardíacaestressecoração

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.