José Patricio/AE
José Patricio/AE

Estudo aponta que 15% dos diabéticos correm risco de amputação de pé

Doença pode danificar os sistemas nervoso e vascular do paciente, o que ocasiona infecções graves nos tecidos das extremidades inferiores

Efe,

07 de fevereiro de 2012 | 16h55

Cerca de 15% dos diabéticos correm o risco de sofrer do pé diabético, infecção ou destruição dos tecidos das extremidades inferiores ocasionada pelos danos que a doença causa no sistema nervoso e vascular.

Isso é o que disse o especialista Javier Aragón, durante o II Congresso Nacional de Feridas, que ocorre em Madri.

O transtorno, responsável por 70% das amputações de pé na Europa, é consequência do descuido ao longo dos anos, o que acaba danificando os nervos e comprometendo a irrigação sanguínea ao ponto de provocar perda da sensibilidade nas extremidades inferiores.

O médico assinalou que basta um golpe, uma pedra no sapato ou qualquer arranhão para ocasionar no diabético uma ferida difícil de perceber pela falta de sensibilidade. A falta de tratamento leva à colonização de bactérias, destruindo o tecido.

Os especialistas recomenda um bom controle do diabetes, da pressão sanguínea e dos níveis de colesterol. A pessoa também deve parar de fumar e caminhar pelo menos uma hora por dia para favorecer a circulação. Além disso, deve usar calçados adequados e tomar rigorosas medidas de higiene.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.