Estudo do HCor indica colesterol alto em 42,4% dos pacientes homens

Grupo de quase 3 mil apresentou LDL maior ou igual a 130mg/dL, quando o recomendado é 100mg/dL

Agência Estado

05 de agosto de 2010 | 16h08

SÃO PAULO - O Hospital do Coração (Hcor) fez um alerta aos homens na última quarta-feira: 42,4% (1.254) dos 2.957 pacientes do sexo masculino com idade entre 30 e 55 anos atendidos pela instituição nos últimos três anos estão com colesterol LDL elevado. O aparecimento de doenças coronárias está ligado ao excesso dessa substância.

O grupo apresentou colesterol LDL maior ou igual a 130mg/dL, quando o recomendado é 100mg/dL, diz o cardiologista do HCor, César Jardim. Entre as mulheres, a taxa de colesterol alto foi de 22,4%. "O colesterol não provoca sintomas. É necessário um acompanhamento médico", recomenda.

O risco aumenta com a combinação de alguns fatores, segundo Jardim. Entre eles, sedentarismo, tabagismo, obesidade, diabete e herança genética. "É um dos males modernos", afirma.

O colesterol LDL se deposita nas paredes das artérias e diminuiu o fluxo de sangue para o coração e o cérebro. "Esse efeito é responsável por ataques cardíacos e derrames", explica o cardiologista Sergio Timerman, do Instituto do Coração do Hospital das Clínicas.

Atualmente, 22 milhões de brasileiros sofrem de colesterol alto. Cerca de 80% da substância é produzida pelo organismo, no fígado. "O problema está nos 20% que absorvemos dos alimentos, pois muitas vezes ingerimos a gordura errada", diz a nutricionista do HCor, Cyntia Carla da Silva.

Entre as "gorduras erradas", Cyntia cita as saturadas - presentes em carnes, leite, derivados e alimentos de origem vegetal - e as do tipo trans, comuns em bolachas, salgadinhos e refrigerantes.

O ideal é substituí-las pelas gorduras poli-insaturadas (óleos de soja, girassol e peixes) e monoinsaturadas (azeite, abacate e sementes). Outra forma de combater as taxas elevadas de colesterol são os exercícios físicos. Mesmo o LDL, porém, é necessário para o organismo. "Ele atua na produção de hormônios e vitaminas", afirma Jardim.

As informações são do Jornal da Tarde.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.