Alan Santos/PR - 19/5/2022
Alan Santos/PR - 19/5/2022
Imagem Fernando Reinach
Colunista
Fernando Reinach
Conteúdo Exclusivo para Assinante

Estudo quantifica a tragédia causada por Bolsonaro na pandemia de covid-19 no Brasil

Ao comparar o que ocorreu no País com as médias mundiais, fica claro que muitos brasileiros morreram por causa das medidas adotadas pelo atual governo

Fernando Reinach, O Estado de S.Paulo

25 de junho de 2022 | 05h00

Ninguém duvida que o governo Bolsonaro está tentando destruir hoje as instituições que garantem nossa democracia. Mas o pior é que nosso futuro também está sendo destruído. O governo costuma alegar que os problemas vieram do passado. Mas isso não vale quando se discute a maneira como Bolsonaro lidou com a pandemia. O SARS-CoV-2 não existia quando ele foi eleito.

Agora foi publicado o resultado parcial de um estudo planejado para acompanhar a pandemia. Além de produzir um quadro global, permite comparar os resultados obtidos em cada país. Sabemos que o governo Bolsonaro desprezou o vírus, recomendou tratamentos sem base científica, desautorizou e demitiu ministros, prorrogou o quanto pôde o uso de vacinas e por aí vai. Esse estudo quantifica a tragédia causada por Bolsonaro. E, ao comparar o que ocorreu no Brasil com as médias mundiais, fica claro que muitos brasileiros morreram por causa das medidas adotadas pelo atual governo. Isso vem sendo dito por muita gente, mas agora temos os números.

O estudo coletou dados de infectados, internados e mortos. E foi adiante, e aí sua importância. Foi capaz de corrigir os problemas de coleta de dados de diferentes países e casos de subnotificação. Dessa maneira foi possível estimar o número real de mortes e infecções em cada lugar. Aqui, vou comparar o que aconteceu no Brasil com o que aconteceu no mundo como um todo, incluindo países ricos e pobres.

Até 14 de novembro de 2021 (data final desses resultados preliminares), morreram no Brasil 720 mil pessoas de covid (intervalo de confiança entre 634 mil e 907 mil). Mas esse número diz pouco. Mais importante é quantas pessoas morreram por 100 mil habitantes. No planeta, a covid matou 194 a cada 100 mil. No Brasil, esse número foi de 332. Na Nova Zelândia esse número é 0,8 por 100 mil. No planeta, a taxa de infecção por 100 habitantes foi de 49%; no Brasil, de 66%. No Brasil 0,5% dos infectados morreram, enquanto no mundo esse número é de 0,4%.

Não resta dúvida que, com o sistema de saúde que o Brasil dispunha no início da pandemia, um governo minimamente competente e responsável teria obtido resultados melhores. Bastava não atrapalhar. Calcular exatamente quantas das mortes por covid podem e devem ser colocadas nas costas do governo Bolsonaro é difícil, mas deve ser maior que 50 mil. É suficiente para condenar os responsáveis por crime de responsabilidade, homicídio ou genocídio.

MAIS INFORMAÇÕES: ESTIMATING GLOBAL, REGIONAL, AND NATIONAL DAILY AND CUMULATIVE INFECTIONS WITH SARS-COV-2 THROUGH, NOV 14, 2021: A STATISTICAL ANALYSIS, LANCET. HTTPS: //DOI.ORG/10.1016/S0140-6736(22)00484-6

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.